Notícias / Polícia

EDIÇÃO ELETRÔNICA

PM morre após levar cinco tiros na frente da filha na Pedreira

Domingo, 11/02/2018, 09:10:41 - Atualizado em 11/02/2018, 12:23:58 Ver comentário(s) A- A+

PM morre após levar cinco tiros na frente da filha na Pedreira (Foto: Denilson D'Almeida)
Na manhã deste domingo (11), marcas de sangue continuavam no local do crime (Foto: Denilson D'Almeida)

Mais um policial foi assassinado no Pará. O sargento da reserva da Polícia Militar Washington Luiz do Rosário foi assassinado com cinco tiros na noite de sábado (10), em frente a casa onde ele morava, na travessa Humaitá, próximo a Antônio Everdosa, no bairro da Pedreira. Ele estava com a filha e ela presenciou o crime. 

O sargento, que foi atingido no peito e abdômen, chegou a ser socorrido e levado para o hospital Saúde da Mulher, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu. 

De acordo com informações de vizinhos da vítima, dois homens em um carro preto chegaram para roubar o celular da filha do policial e ele reagiu, mesmo não estando armado, sendo atingido com cinco  tiros. Os vizinhos, no entanto, acreditam que o assalto foi um pretexto para execução do policial.

Segundo o sargento Silvano, o militar da reserva chegou a ser levado para um hospital particular, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. 

O corpo do militar passa por necropsia no Instituto Médico Legal (IML) de Belém. 

POLÍCIA PERDE O COMBATE

O sargento Washington é o oitavo policial assassinado neste início de ano no Pará. 

Dos oito PMs mortos, incluindo o caso do sargento Washington, um faleceu em confronto com bandidos (assassinado em serviço), dois foram mortos durante assalto, um foi executado dentro do próprio casa e outro durante uma operação de rotina, em Castanhal. Um policial também foi morto durante um treinamento da Polícia Militar, em Marituba, no mês passado. 

Na sexta-feira (09), o cabo da Polícia Militar Marcelo Costa de Carvalho também atingido com um tiro quando levava sua filha para escola. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu durante procedimento cirúrgico no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, em Ananindeua. 

Segundo a Polícia Militar, "as circunstâncias do crime serão investigadas pela Polícia Civil". A PM disse ainda que a Corporação lamenta e está dando apoio psicossocial aos familiares do militar".

(DOL com informações de Denilson D´Almeida/Diário do Pará)







Comentários