Notícias / Polícia

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Sinalizadores de viaturas e até perucas foram achados com suspeito de roubo a prédio

Quinta-Feira, 12/10/2017, 16:06:41 - Atualizado em 12/10/2017, 16:10:26 Ver comentário(s) A- A+

Sinalizadores de viaturas e até perucas foram achados com suspeito de roubo a prédio (Foto: Reprodução)
Mirai Office, prédio comercial localizado na Rua Municipalidade, no bairro Umarizal, em Belém (Foto: Reprodução)

Furadeiras, cilindros de gás usados em corte de cofres, blusas semelhantes aos uniformes da Polícia Federal, sinalizadores de viaturas e até perucas para disfarce: esses foram alguns dos equipamentos apreendidos pela Polícia Civil com suspeitos de fazerem parte do grupo criminosos responsável pelo assalto ao edifício Mirai Office, no bairro do Umarizal.

Agentes da Divisão de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR) apreenderam: furadeira e marreta; além de cilindros de gás usados em corte de cofres; blusas semelhantes às usadas pela Polícia Federal e de um supermercado; bonés, coldres e luvas semelhantes aos usados por policiais; sinalizador tipo giroflex usado em viaturas; perucas para disfarce, aparelhos tipo DVR usados para armazenar imagens de câmeras de monitoramento; placas clonadas, dois veículos usados nos crimes, entre outros.

Foram recuperados também R$ 8 mil do valor total roubado.

Foram apresentados, ainda, nesta quinta-feira (12), quatro suspeitos de envolvimento no roubo. São eles: Welson Irlon Gurjão da Silva, 45 anos, de apelido Gordo; Maik de Melo Nogueira, 30 anos, conhecido como Tiago; Antônio Silva Cordovil, 45 anos, conhecido como Toninho, e Odino Coelho Ramos Junior, 40 anos.

Durante as investigações, também foi preso o porteiro do edifício, George Cleberson Cardoso Noronha, 39 anos, que foi liberado pela Justiça na audiência de custódia.

As informações são da Polícia Civil do Pará.

Roubo milionário

No assalto, realizado no último domingo (8), 16 salas foram arrombadas pelos criminosos. Uma delas seria do marido de Izabela Jatene, filha do governador Simão Jatene, Ricardo Souza.

(DOL)





Comentários