Notícias / Polícia

EDIÇÃO ELETRÔNICA

341 assassinatos em 1 mês. Assim foi agosto, no Pará

Sexta-Feira, 08/09/2017, 07:38:50 - Atualizado em 08/09/2017, 12:22:45 Ver comentário(s) A- A+

341 assassinatos em 1 mês. Assim foi agosto, no Pará (Foto: Maycon Nunes/Diário do Pará)
Nunca se matou tanto no Pará como neste ano. Belém dispara em número absoluto de homicídios: 604 no ano. (Foto: Maycon Nunes/Diário do Pará)

Agosto é o mês do desgosto. O ditado popular nunca foi tão certo, pelo menos quando se trata dos números de homicídios no Pará. No mês passado, foram registrados 341 assassinatos; sendo 214 no interior do Estado; e 127 na Região Metropolitana de Belém (RMB). Somente na capital, ocorreram 83 mortes violentas. Este ano, já são 2.948 assassinatos. É o pior índice de homicídios no mês de agosto dos últimos seis anos. Os dados são do Sistema Integrado de Segurança Pública do Pará (Sisp).

Até 31 de julho de 2017 o Sisp registrou 2.612 mortes violentas em todo o território paraense, sendo 2.222 homicídios; 125 latrocínios; 27 lesões corporais seguidas de morte; e 238 mortes por intervenção policial. 

Esses números de 2017, além de representarem o aumento de 13% em relação ao mesmo período de 2016, constituíram-se em novo recorde, no período considerado, na criminalidade do Pará.

Belém dispara nos homicídios, em números absolutos, na RMB, com 604 assassinatos, seguida por Ananindeua, com 231 (27%); Marituba, com 60 (7%); Benevides, com 43 (5%); e Santa Bárbara, com 11 registros (1%).

Outro significativo aumento ocorreu nas mortes por intervenção policial, com 102 registros a mais, representando o aumento de 75% em relação ao mesmo período de 2016.


QUASE 2 MIL ESTUPROS REGISTRADOS

No período de 1 de janeiro a 20 de agosto de 2017 foram registrados 1.935 estupros em todo o Estado do Pará, sendo 1.453 no interior e 482 na Região Metropolitana de Belém (RMB). Desses, 482 registros na RMB, sendo 320 estupros em Belém.

No mesmo período, foram registrados no Pará 74.726 registros de furtos. Sendo: 40.934 registros (55%) no interior e 33.792 (45%) na Região Metropolitana de Belém, sendo 25.615 registros em Belém, ou seja: 25% em relação ao Estado e 76% em relação à RMB.

(Mauro Neto)





Comentários