Notícias / Polícia

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Polícia contesta versão sobre ataque em fazenda, mas aponta possível incêndio criminoso

Segunda-Feira, 17/07/2017, 09:51:43 - Atualizado em 17/07/2017, 10:13:58 Ver comentário(s) A- A+

Polícia contesta versão sobre ataque em fazenda, mas aponta possível incêndio criminoso (Foto: via WhatsApp)
Moradores do local relataram disparos por arma de fogo e casas incendiadas. Polícia, entretanto, não encontrou indícios de atentado a tiros (Foto: via WhatsApp)

Policiais da Delegacia de Conflitos Agrários (Deca) deverão solicitar nesta segunda-feira (17) um trabalho de perícia na área da fazenda Santa Tereza, em Marabá, sudeste paraense, onde existe o acampamento Hugo Chavez, cujos moradores denunciaram uma série de supostos atentados sofridos no último fim de semana. Segundo a polícia, há indícios de que a região foi atingida por um incêndio criminoso.

No último domingo (16), trabalhadores rurais do acampamento e membros do movimento sem-terra (MST) afirmaram que o local estava sendo alvo de ataques por pistoleiros desde o sábado (15), que teriam bloqueado o acesso a local, atirado na direção do acampamento e ainda incendiado algumas casas do local.

Uma equipe da Deca, comandada pelo delegado Alexandre Nascimento, foi ao local ainda no domingo para verificar a ocorrência e vistoriar a área. No entanto, os policiais afirmam que não constataram a situação de atentado relatada pelos trabalhadores ruais, apenas um incêndio em uma área de pasto localizada no entorno da fazenda, que possuia indícios de ter sido criminoso.

A polícia deverá solicitar nesta segunda-feira ao Centro de Perícias Científicas Renato Chavez de Marabá que faça uma perícia para descobrir se o incêndio foi intensional ou não.

Cerca de 100 pessoas vivem no acampamento montado na Fazenda Santa Tereza. Eles pedem que o local seja desapropriado pelo Incra para objeitvo de reforma agrária, com a construção de um assentamento. No ano passado, o MST chegou a denunciar ataques similares no local, em que pistoleiros teriam supostamente atirado contra a população do local.

(DOL)





Comentários