Notícias / Pará

CARNAVAL

Foliões denunciam proibição de entrada de bebidas na Cidade Velha

Segunda-Feira, 28/01/2019, 14:23:31 - Atualizado em 28/01/2019, 17:11:11 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Foliões denunciam proibição de entrada de bebidas na Cidade Velha (Foto: Reprodução/Agencia Belem)
O internauta informou que apenas uma marca de cerveja estava sendo comercializada dentro do circuito. (Foto: Reprodução/Agencia Belem)

Aproveitar a folia no pré-carnaval da Cidade Velha, em Belém, causou uma baita dor de cabeça em alguns foliões. É o caso do jornalista Igor Augusto, que usou uma rede social para denunciar a postura dos seguranças da "Liga dos Blocos", que acabaram proibindo a entrada do mesmo com sua própria bebida, assim como outros foliões. 

Segundo Igor, ao chegar na entrada principal do circuito da Cidade Velha, o mesmo foi "barrado" de entrar, pois estava segurando uma bolsa térmica com algumas latas de cerveja. Durante a abordagem, o funcionário afirmou que tinha recebido ordens para proibir a entrada das bebidas armazenadas em latas e que só permitiria as bebidas colocadas em garrafas pet. 

"Tudo bem que tem um protocolo de segurança, onde são barradas garrafas de vidros e outros objetos de vidro. Isso normal para garantir a segurança. Porém, esse ano, não só eu, mas como várias outras pessoas foram barradas de levar a sua térmica com latinhas. Só eram permitidas a entrada de bebidas em garrafas pet", afirmou o rapaz. 

Na tentativa de entrar no local, o jovem procurou o posto da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), onde relatou o ocorrido à delegada que estava no plantão e explicou a situação para a mesma, que apenas informou que, por ela, não haveria problema algum entrar com as bebidas, porém, como a coordenação do evento era da Liga dos Blocos, não teria como interferir no caso. 

Ele ainda relatou que procurou ajuda da Secretaria Municipal de Economia (Secon), mas que também não teve êxito, já que os fiscais afirmaram que o papel deles era apenas para limitar o acesso dos ambulantes.

Após todas as tentativas na entrada principal, o jovem conseguiu entrar no circuito por outra via que dava acesso à área. Porém, para surpresa do mesmo, no local havia várias barracas vendendo latinhas de cerveja e não apenas em garrafas pet, como afirmava a proibição do funcionário contratado pela Liga. 

"Quem estava barrando a entrada das latinhas nas térmicas era a Liga dos Blocos, mas isso foi muito estranho, porque dentro do circuito da Cidade Velha, estavam sendo vendidas latinhas. Se eu não posso entrar com a minha latinha, quer dizer que sou obrigado a comprar apenas as latinhas que estão sendo vendidas no circuito? Ou seja, a Liga dos Blocos barra a entrada das pessoas com térmicas, porque o consumidor tem que comprar obrigatoriamente o que está sendo vendido dentro do circuito? Mas isso não é um espaço público?", ressaltou o jornalista. 

Além disso, o rapaz denuncia que dentro do espaço estavam sendo vendidas bebidas de uma única marca. "Todos os ambulantes só estavam vendendo as bebidas de uma marca, o que deu a entender que se tratava de patrocínio. O consumidor só poderia consumir os três tipos de cerveja da mesma marca", finalizou Igor.

Foto: Reprodução

De acordo com o advogado Paulo Barradas, a situação relatada pelo internauta é ilegal. "Se apenas uma marca estava sendo tolerada no local, a situação é mais grave ainda, pois deve ser observado o princípio da igualdade (todos são iguais perante a Lei), também de natureza constitucional. A competência para apuração e punição é do Ministério Público do Estado", ressaltou Barradas.

Em nota, a Prefeitura Municipal de Belém informou que tem a responsabilidade do ordenamento de ambulantes e da logística, como o trânsito, banheiros químicos e apoio na segurança com a Guarda Municipal de Belém. 

(Paloma Lobato/DOL)



Conteúdo Relacionado:





Comentários

Destaques no DOL