Notícias / Pará

IMPOSTO

IPTU de Belém tem reajuste de 4,28% e atingirá 455 mil contribuintes

Quinta-Feira, 10/01/2019, 07:12:41 - Atualizado em 10/01/2019, 07:19:00 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

 IPTU de Belém tem reajuste de 4,28% e atingirá 455 mil contribuintes  (Foto: Rogério Uchôa/Diário do Pará)
Contribuintes de Belém terão que arcar com os custos maiores do Imposto Predial e Territorial Urbano (Foto: Rogério Uchôa/Diário do Pará)

O Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) de 2019 terá um aumento de 4,28% em Belém. O reajuste, calculado de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo Especial (IPCA-E), será aplicado a 455.436 proprietários de imóveis cadastrados pela Prefeitura na capital.

Segundo a Secretaria Municipal de Finanças (Sefin), os carnês já vão estar disponibilizados a partir de 10 de janeiro, no site do órgão (belem.pa.gov.br/sefin), onde o contribuinte pode entrar com sua inscrição imobiliária. No fim do mês há a previsão dos carnês, já impressos, serem entregues aos contribuintes. 

O valor previsto de arrecadação com o IPTU deste ano pela Prefeitura de Belém é de R$ 246.711.018. O contribuinte que optar pelo pagamento em cota única terá direito ao desconto de 10% se for efetuado até o dia 10 de fevereiro ou 7%, se preferir pagar até o dia 10 de março.

Quem estiver em débito com o IPTU poderá negociar, tendo desconto de 20% para pagamento à vista, ou podendo parcelar a dívida em até 60 vezes, desde que a parcela mínima seja de R$ 200,00. No caso de reparcelamento, tem que
dar uma entrada.

PAGAMENTO

De acordo com a Sefin, quando o contribuinte não faz o pagamento do IPTU, automaticamente o débito dele é inscrito em dívida ativa. Há o protesto em cartório, ou seja, o contribuinte fica negativado nos institutos de proteção ao crédito. 

Logo depois, é feita a execução da dívida onde a Prefeitura precisa ingressar em juízo para cobrar esse tributo não pago. O processo de cobrança dos débitos do IPTU, quando feito judicialmente, também passa pela execução, penhora ou leilão dos bens. O reajuste do IPTU no ano passado foi parar na Justiça.

O pleno do Tribunal de Justiça do Estado (TJPA), através de liminar, suspendeu o aumento médio de 16% da taxa do Imposto em Belém. A decisão dos desembargadores foi unânime em relação à Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN) movida pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). 

Na época, a Justiça entendeu que o valor cobrado no IPTU até poderia ser atualizado anualmente, desde que ocorresse no limite da inflação acumulada nos últimos doze meses, conforme está sendo aplicado em 2019.

(Diário do Pará)





Comentários

Destaques no DOL