Notícias / Pará

MAUS-TRATOS É CRIME

Cachorro morto e animais encarcerados: moradores pedem ajuda em Ananindeua

Terça-Feira, 08/01/2019, 12:22:14 - Atualizado em 08/01/2019, 12:29:25 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Cachorro morto e animais encarcerados: moradores pedem ajuda em Ananindeua (Foto: Reprodução/Whatsapp)
Moradores afirmam que, após fechar o estabelecimento que tinha, abandonou os cachorros, que eram nove, mas agora só restam três (Foto: Reprodução/Whatsapp)

A redação do Diário Online recebeu na manhã de terça-feira (8) a denúncia de que quatro cachorros estão abandonados em um ambiente condiderado insalubre na travessa we 31, bairro Cidade Nova 5, em Ananindeua, na Grande Belém.

Moradores da rua, que não sabem mais a quem recorrer, afirmam que os cães estão abandonados há três meses após o dono do local fechar o negócio que tinha: uma empresa de segurança.


De um lado, a quantidade de cães que viviam no local; do outro, apenas quem restou (Foto: Reprodução/Whatsapp)

"Nós, os vizinhos, tentamos dar comida, dar água, mas isso quando a gente consegue pular o muro pra botar água e ração, mas nem sempre a gente pode fazer isso. E agora, nesse final de semana, a gente viu esse cachorro morto lá e tava fedendo, tava um mal cheiro horrível", denuncia.

Moradora do local há 37 anos, a denunciante diz que durante todo esse tempo nunca presenciou tamanha crueldade e esclarece que, diferente do que mostram as imagens, inicialmente eram nove cães e as pessoas que ainda circulam no local - provavelmente para manter o espaço - não dão a mínima para os pequenos.


Um dos cães presos no local; ao lado, o filhotinho que morreu no último final de semana (Foto: Reprodução/Whatsapp)

"Eram cinco adultos e quatro filhotes, mas três filhotes morreram. Tem gente entrando lá, mas eles não dão importância", diz a moradora da Cidade Nova 5 que, após várias tentativas, conseguiu oficializar a denúncia na Divisão Especializada em Meio-Ambiente (Dema).

"É muita burocracia pra registrar uma denúncia. Mas nós ligamos e temos o número de protocolo, vamos ligar depois para fazer o dossiê", disse. Somente após esse procedimento é que uma equipe poderá ir até o local da denúncia e avaliar a situação, enquanto isso, os animais seguem sendo amparados por vizinhos.

O DOL não localizou o suposto dono do estabelecimento para dar explicações do caso.

(DOL)



Conteúdo Relacionado:





Comentários

Destaques no DOL