Notícias / Pará

SAÚDE

Helder visita hospital que Jatene não aprontou

Sexta-Feira, 04/01/2019, 07:26:52 - Atualizado em 04/01/2019, 07:26:52 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Helder visita hospital que Jatene não aprontou (Foto: Thiago Gomes/Agência Pará)
O governador do Pará viu de perto a situação do Abelardo Santos (Foto: Thiago Gomes/Agência Pará)

O governador Helder Barbalho realizou, na tarde de ontem, uma visita técnica ao Hospital Abelardo Santos, em Icoaraci, e constatou diversas pendências que ainda impedem a inauguração da obra. Segundo o gestor, o objetivo da visita foi mostrar à sociedade a realidade em que se encontra a construção do hospital. No final do ano, o ex-governador Simão Jatene foi impedido pela Justiça do Pará de inaugurar o local. “O governo passado disse que estava tudo pronto, mas a realidade é outra”, lamentou.

A obra no Abelardo Santos já se arrastra há cinco anos, mas a nova equipe do Governo do Estado já constatou que ainda há a necessidade de diversos serviços a serem concluídos antes que o espaço comece efetivamente a funcionar.

Em análise preliminar, a Procuradoria Geral do Estado (PGE) constatou que o contrato de R$ 170 milhões já destinou aproximadamente R$ 31 milhões para a Organização Social, contratada para administrar o hospital. “Não entendemos o porquê da OS já ter recebido uma quantia dessas sem que o hospital esteja funcionando”, questionou Helder Barbalho.

Além disso, há outros indícios de irregularidades envolvendo a OS. Segundo o procurador geral do Estado, Ricardo Sefer, os equipamentos foram comprados via Organização Social sem que a compra esteja prevista no contrato. “Encontramos graves indícios de irregularidade. Primeiro que o processo licitatório para a contratação da gestão do hospital foi feito sem parecer jurídico, o que viola a lei de licitações, e segundo porque os equipamentos deveriam ter sido comprados pela própria secretaria e não pela administradora”, explicou Sefer.

IMPASSE

O próprio valor da obra está sob suspeita, já que o montante de R$ 170 milhões equivale a R$ 14.500 o metro quadrado, um dos mais caros do Brasil, segundo Helder. O governador solicitou uma análise do processo contratual, incluindo a forma de contratação da OS e um levantamento de todos os recursos já destinados à construção. Dependendo do resultado, o processo será encaminhado ao Tribunal de Contas do Estado para tomada de contas especial.

Durante a visita, o governador percorreu uma parte dos andares do Abelardo Santos e constatou que algumas áreas ainda estão inacabadas, como cozinha, farmácia, lavanderia e a área de manipulação alimentar. Tudo isso motivou a decisão judicial de cancelar a inauguração do espaço.

Segundo Helder, se não houver outros problemas daqui para frente, a previsão da Secretaria de Obras do Estado é que a inauguração do novo hospital ocorra no próximo mês de abril.

(Leidemar Oliveira/Diário do Pará)



Conteúdo Relacionado:





Comentários

Destaques no DOL