Notícias / Pará

ANIVERSÁRIO

Ananindeua completa 75 anos em meio a pedidos de melhorias

Quinta-Feira, 03/01/2019, 07:28:36 - Atualizado em 03/01/2019, 07:28:36 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Ananindeua completa 75 anos em meio a pedidos de melhorias (Foto: Fernando Araújo/Diário do Pará)
A porta de entrada do município é a rodovia BR-316, no Centro de Ananindeua, que hoje possui cerca de meio milhão de habitantes (Foto: Fernando Araújo/Diário do Pará)

Vizinho da capital paraense e o segundo município mais populoso do Pará, Ananindeua completa hoje 75 anos de fundação. A cidade que faz parte da Grande Belém, com uma população estimada de meio milhão de habitantes, não deixa a desejar aos moradores em vários aspectos, mas ainda necessita de melhorias.

A cidade começa no primeiro quilômetro da rodovia BR-316, sua principal via de acesso. Possui comércio diversificado e completo, unidades de saúde, Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), que é referência em traumatologia, universidades, Museu Parque Seringal - o primeiro do Pará dedicado ao ciclo da borracha -, balneários, condomínios luxuosos e dois shopping centers.

Por muito tempo, Ananindeua foi considerada “cidade dormitório”, já que muitos trabalhadores moravam na cidade, mas trabalhavam em Belém. Hoje isso mudou. A comerciante Ivone Gonçalves, 53, é uma das habitantes que não precisam se deslocar para outra região. “Trabalho e moro há 30 anos aqui. É bom porque a gente encontra de tudo, às vezes até mais em conta que no comércio de Belém”.

Apesar das dificuldades com a insegurança, ela gosta de onde mora. “Graças a Deus nunca fui vítima de violência. Na rua onde moro é tranquilo e o ponto de venda de lanche é bem lucrativo”, argumentou.

Vilson Lima, 52, se mudou da capital para Ananindeua há pouco mais de dois anos. Ele escolheu o bairro da Cidade Nova, onde também conseguiu conciliar com o trabalho. “Aqui é bom de se viver. Temos facilidade de acesso ao comércio, a outros bairros aos redores e conseguimos usufruir de lazer”, disse o funcionário de uma empresa de transporte urbano.

CARÊNCIAS

Porém, o novo morador sente falta de praças e asfaltamento em algumas ruas. “As vias principais são boas, mas se entrar um pouco nos bairros, vai encontrar ruas esburacadas”, reclamou.

Moradora no bairro do Icuí, a técnica em eletrotécnica Viviane Rechene, 29, se criou em Ananindeua. Ela já passou pelos bairros da Cidade Nova I e VIII, e não abre mão de viver no município. “Gosto muito de Ananindeua. É uma cidade boa de se morar, principalmente a área da Praça da Bíblia, onde tem muitas opções de lanches”, destacou. Por outro lado, ela aponta os mesmos problemas pelos bairros onde morou e mora atualmente. “A iluminação pública está precária, não existe saneamento básico nas periferias e não temos pontos turísticos”, enumerou.

Mesmo com os problemas, há quem não abra mão de viver em Ananindeua. “É bom demais. Vim para cá na minha adolescência. Me casei, criei meus filhos, eles estudaram e hoje trabalham. E tudo aconteceu aqui, em Ananindeua”, avaliou Maria das Graças dos Santos, 74, aposentada.

CURIOSIDADES

O nome Ananindeua é de origem tupi, que significa grande quantidade de árvore do tipo Anani, que produz a resina de cerol utilizada para lacrar as fendas de embarcações. A cidade é originária de ribeirinhos e começou a ser povoada a partir da antiga Estrada de Ferro de Bragança.

Pelo Decreto-lei Estadual nº 4.505, de 30 de dezembro de 1943, promulgado pelo Interventor Federal, Magalhães Barata, o município de Ananindeua foi criado em 3 de janeiro de 1944.

PROGRAMAÇÃO

8h - Missa na Igreja Matriz de Ananindeua, Nossa Senhora das Graças, na rodovia BR-316, km 8, entre avenida Zacarias de Assunção e Rua José Marcelino de Oliveira, Centro.

18h às 1h - Shows na avenida Arterial 18 com Gleydson & Lohan, Mariza Black, Búfalo do Marajó -Carroça da Saudade, Daniel do Acordeon, Fábio Resque e Banda X com Ximbinha e Cabaré do Brega.

(Michele Daniel/Diário do Pará)



Conteúdo Relacionado:





Comentários

Destaques no DOL