Notícias / Pará

SEU BOLSO

Ano começa sem taxa extra na conta de luz

Sábado, 29/12/2018, 08:03:22 - Atualizado em 29/12/2018, 12:15:00 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Oano de 2019 começa sem taxa extra nas contas de luz. A Agência Nacional de Energia Elétrica(Aneel) informou nesta sexta-feira que irá aplicar a bandeira tarifária verde no próximo mês, sem custo adicional para os consumidores. Em dezembro, essa bandeira também ficou em vigor. A justificativa para a manutenção da cor verde nas bandeiras é o período de chuvas. “A estação chuvosa está propiciando elevação da produção de energia pelas usinas hidrelétricas e do nível dos reservatórios”, informou a Aneel, em nota.

 Apesar da manutenção da bandeira verde, a Aneel alerta que é necessário manter as ações relacionadas ao uso consciente e ao combate ao desperdício de energia.

AS BANDEIRAS

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado para sinalizar aos consumidores os custos reais da geração de energia elétrica. A adoção de cada bandeira, nas cores verde (sem cobrança extra), amarela e vermelha (patamar 1 e 2), está relacionada aos custos da geração de energia elétrica.

Quando chove menos, é preciso acionar usinas térmicas, que são mais caras que as hidrelétricas. Todo o custo extra é repassado para os consumidores.

Antes de dezembro, a última vez que a bandeira verde havia sido utilizada era em abril. Com o forte período seco, o país passou cinco meses com a bandeira vermelha no segundo patamar. Essa é a mais cara de todo o sistema e significa uma cobrança de R$ 5 a cada 100 kWh consumidos.

PARA ENTENDER

DECRETO ACABA COM PARTE DOS SUBSÍDIOS PAGOS POR CONSUMIDORES

- Um decreto editado pelo presidente Michel Temer, ontem, reduz parte dos subsídios pagos na conta de luz por todos os consumidores e que pesam nas tarifas de energia. O texto elimina das tarifas, gradualmente, descontos concedidos para consumidores rurais e para companhias de água, esgoto e saneamento.

- Os descontos são bancados por todos os consumidores nas contas de luz. A previsão é que os descontos que serão eliminados com o decreto custem R$ 4,2 bilhões ao ano. O decreto representa uma redução total 2,5% nas contas de luz ao longo de cinco anos.

(Agência O Globo)





Comentários

Destaques no DOL