Notícias / Pará

VEJA AS DICAS

Cortar ‘gastos invisíveis’ fará toda a diferença no seu bolso

Domingo, 16/12/2018, 10:27:33 - Atualizado em 16/12/2018, 10:27:33 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Cortar ‘gastos invisíveis’ fará toda a diferença no seu bolso (Foto: Divulgação)
Um cafezinho que você compra ou excesso no prato de comida a quilo são exemplos de pequenas despesas que costumam não ser percebidas. (Foto: Divulgação)

Os poucos reais gastos no café do meio da manhã, o consumo de energia mantido pelos aparelhos eletroeletrônicos em modo espera (ou stand by) e demais exemplos dos chamados ‘gastos invisíveis’ podem consumir cerca de 20% a 30% do salário por mês. A estimativa é apontada pelo educador financeiro Manuel Godoy Filho, que aponta que é possível combater esse tipo de custo extra no orçamento. 

Manuel explica que os tais ‘gastos invisíveis’ são aquelas pequenas despesas do dia a dia que acabam passando despercebidas no orçamento diário, mas que, no final do mês, podem fazer a diferença. “É o dinheiro pago ao flanelinha, o lanche no meio da manhã, a sobremesa após o almoço ou mesmo o excesso no prato da comida a quilo e que depois a pessoa nem consegue comer”, exemplifica.

Para que tal cenário seja modificado, o educador financeiro considera que o primeiro passo precisa vir de uma mudança no comportamento do consumidor. Além de se perguntar se realmente precisa fazer aquele gasto, o indivíduo pode alterar alguns hábitos. 

“Aquela televisão que fica em stand by em casa quando a pessoa sai para trabalhar gera um gasto. A torneira que fica pingando porque a pessoa não trocou uma borracha que custa R$2 também gera um gasto”, aponta Manuel.

“Muita gente passa pela situação de ir comprar um lanche e o atendente oferecer um chiclete, uma água a mais do que se está comprando, um tamanho maior de lanche por ‘apenas’ por R$2 a mais. Só que esses R$2 a mais podem representar R$20 no final de cada mês e, consequentemente, R$ 240 no final do ano”. 

DICAS

 Seguindo essa linha, o site Meu Bolso em Dia – iniciativa da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) que tem como objetivo a prestação de serviço de educação financeira - aponta algumas dicas de como aproveitar melhor os serviços já contratados e eliminar possíveis gastos invisíveis.

Dicas para eliminar possíveis “gastos invisíveis”

Telefonia móvel

Se você possui um plano de celular pós-pago comece avaliando as suas contas dos últimos meses para verificar se você efetivamente utiliza os minutos de ligações e o pacote de internet contratados. Caso perceba que utiliza uma quantidade menor do que o contratado, é possível entrar em contato com a operadora e negociar um plano de menor valor. Já se o consumo for maior, também pode ser vantagem migrar por um plano com limites maiores. Pode ser mais barato pagar por um plano mais completo do que pagar mensalmente por minutos adicionais.

TV por assinatura

Se você percebe que, apesar da disponibilidade de uma centena de canais, só utiliza dois ou três, pode ser o momento de refletir sobre a real necessidade de manter a assinatura. Hoje, é possível optar por sistemas parecidos e mais baratos em serviços de vídeos sobre demanda.

Anuidades do cartão de crédito

Se você tem o mesmo cartão de crédito há anos, concentra suas compras nele e paga todas as faturas em dia, é possível negociar o valor da anuidade junto à operadora do cartão. Também é possível migrar para opções de cartões que não cobram anuidade, verificando todos os prós e contras da alteração.

Controlando desperdícios

Se condicione a não comprar itens que não são realmente necessários, evitando gastar com roupas que nunca serão usadas ou frascos de perfumes e maquiagens que perdem a validade, por exemplo. Também vale controlar o desperdício de alimentos, água e energia elétrica.

Multas por atraso no pagamento de contas

Fique atento para não perder os prazos de pagamento de contas, pois um dia de atraso já pode gerar o pagamento de multa. Se a pessoa acaba esquecendo de pagar uma ou outra conta no dia do vencimento, uma boa saída pode ser incluí-las no débito automático.

(Cintia Magno/Diário do Pará)



Conteúdo Relacionado:





Comentários

Destaques no DOL