Notícias / Pará

DESCASO TOTAL

Comunidade do Tenoné está há dias sem água e coleta de lixo

Terça-Feira, 04/12/2018, 07:32:00 - Atualizado em 04/12/2018, 07:34:45 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Comunidade do Tenoné está há dias sem água e coleta de lixo (Foto: Ricardo Amanajás/Diário do Pará)
Para piorar, há o risco de doenças e o fedor do excesso de detritos nas ruas (Foto: Ricardo Amanajás/Diário do Pará)

Moradores do conjunto Fé em Deus, no bairro do Tenoné, em Belém, reclamam que estão sofrendo sem água nas torneiras há 3 dias e incomodados com o lixo acumulado devido à falta de coleta seletiva no local, que não ocorre há uma semana. Para tentar realizar as atividades domésticas, quem depende unicamente da água da Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa), conta com a solidariedade dos vizinhos que possuem poço artesiano. Já o lixo, além da sujeira e do fedor, tem atraído animais, trazendo riscos à saúde de quem vive ali.

“Apesar de nossa comunidade ser grande, dependemos da caixa d’água do conjunto Eduardo Angelim para nos abastecer. E esse problema não costuma acontecer, mas quando falta, ficamos numa situação complicada, dependendo dos vizinhos que tem poço”, comenta Leila Leão, 42 anos, moradora.

Segundo ela, a água faltou desde o último sábado (1º) e até o momento, não retornou à normalidade. “Domingo precisei comprar água para tomar banho”, acrescenta. A moradora reclama ainda que a água fornecida é de péssima qualidade, por isso, os moradores precisam custear água mineral para consumir. “É horrível, cor escura. No fundo do balde parece um lodo acumulado. Só dá para lavar louça e tomar banho”, denuncia.

E a situação só não fica pior graças à boa vontade de quem mora perto, como a costureira Waldirene Sales, de 48 anos. “Vem gente de outras ruas, de manhã, tarde e noite buscar água. E nem precisa pedir, já deixo a torneira para o lado de fora porque eu sei como é difícil para eles”, diz.


(Foto: Ricardo Amanajás/Diário do Pará)

SEM COLETA

Como não bastasse o problema de abastecimento, os moradores da comunidade enfrentam a questão da falta de coleta de lixo, que é percebida desde a entrada do conjunto, pelo acesso da avenida Augusto Montenegro. Os sacos plásticos estão nas portas das casas, acumulados nas esquinas e até pendurados na grade do centro comunitário.

“Infelizmente, esse local só serve para as pessoas jogarem lixo na porta. A Prefeitura de Belém não faz nada desde que construiu isso. Se não fosse a gente para manter essa área limpa, os bueiros estavam entupidos e tudo bem pior”, detalha Waldirene.

O prédio do centro está desocupado e, de acordo com o autônomo Ruan Mascarenhas, de 26 anos, o espaço nunca funcionou. “A gente queria que isso virasse uma unidade básica de saúde. Quando a gente precisa, tem de ir até o Conjunto Maguari ou para a UPA [Unidade de Pronto-Atendimento] de Icoaraci”, explica.

RESPOSTA

Sobre os problemas relatados na comunidade, a reportagem procurou a Cosanpa e a Prefeitura de Belém. Até o fechamento desta edição, a Cosanpa não deu retorno. Já a prefeitura informou que o caminhão coletor apresentou problema e precisou ser substituído pela empresa que presta serviço de coleta de lixo domiciliar. Na noite de ontem, a coleta voltaria a ser normalizada. “A suspensão temporária da coleta vai gerar notificação da empresa que poderá ser convertida em multa pela falha na prestação do serviço”, informou.

(Michelle Daniel/Diário do Pará)



Conteúdo Relacionado:





Comentários

Destaques no DOL