Notícias / Pará

DESCASO

Praças de Belém estão em estado de abandono

Terça-Feira, 04/09/2018, 08:30:35 - Atualizado em 04/09/2018, 08:40:28 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Praças de Belém estão em estado de abandono (Foto: Pedro Guerreiro/Diário do Pará)
Sujeira, mato, áreas pichadas e insegurança são apenas alguns dos problemas que afetam as praças de Belém (Foto: Pedro Guerreiro/Diário do Pará)

As praças Waldemar Henrique, no bairro da Campina, e a do Operário, em São Brás, já foram dois dos principais espaços públicos de cultura e lazer de Belém, mas hoje encontram-se em total abandono. Lixo, mato e insegurança tomam conta desses locais e afastam os visitantes.

Inaugurada em homenagem ao maestro e compositor paraense Waldemar Henrique, a praça é o retrato do descaso do poder público. Já foi considerada um espaço da cultura popular, mas há muito tempo perdeu essa função. Agora está cheia de lixo e com as calçadas quebradas.


(Foto: Pedro Guerreiro/Diário do Pará)

Os brinquedos foram furtados. O palco, inspirado nas linhas de um piano de cauda, está desativado e cheio de mato. O painel sinuoso, em concreto, onde está a efígie do maestro só chama a atenção mesmo é pela quantidade de lixo e mau cheiro causado pelo acúmulo de fezes e urina.

O abandono é acompanhado pela insegurança. Escuro, o espaço passou a ser ocupado por moradores de rua e usuários de drogas. A parada de ônibus, escura e com o forro deteriorado, fica praticamente deserta à noite e na maior parte do dia, já que os passageiros de ônibus sentem medo de frequentar o local. “A gente só pega o ônibus aqui em último caso, por causa da escuridão e do perigo. Essa praça é reflexo dos políticos que não fazem nada pela cidade”, reclama o autônomo Romualdo Rômulo.


(Foto: Pedro Guerreiro/Diário do Pará)

OPERÁRIO

Na Praça do Operário o cenário não é diferente. Mesmo localizada perto de um dos pontos mais importantes da cidade, o Terminal Rodoviário, a praça não recebe atenção da Prefeitura de Belém. As lixeiras estão quebradas e enferrujadas. Os bancos, sujos e cobertos de folhas. O monumento central está imundo e pichado. “A gente presencia assaltos todos os dias e vive em constante alerta. É praça só no nome”, diz o taxista Cássio Pantoja.


(Foto: Pedro Guerreiro/Diário do Pará)

A Secretaria Municipal de Urbanismo (Seurb) afirma que está elaborando um projeto para a praça Waldemar Henrique, para nova destinação do local, com a construção de uma arena cultural. Segundo a Seurb, a Secretaria Municipal de Saneamento (Sesan) realiza a varrição semanal do local, com retirada de entulho.

Já a praça do Operário, diz a Seurb, conta com uma equipe de varrição que realiza o serviço diariamente. Também afirma que a Guarda Municipal faz rondas diárias nas duas praças.

(Leidemar Oliveira/Diário do Pará)





Comentários

Destaques no DOL