Notícias / Pará

DECISÃO NA QUARTA

Rodoviários anunciam estado de greve. Ananindeua e Marituba podem ter catraca livre

Segunda-Feira, 16/04/2018, 23:27:03 - Atualizado em 17/04/2018, 10:43:27 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Rodoviários anunciam estado de greve. Ananindeua e Marituba podem ter catraca livre (Foto: Octávio Cardoso/Arquivo)
(Foto: Octávio Cardoso/Arquivo)

A categoria dos Rodoviários de Belém, Ananindeua e Marituba anunciou, na noite desta segunda-feira (16), que entrou em estado de greve. A decisão foi tomada após assembleia realizada mais cedo e em duas partes.

Os rodoviários afirmam que estão insatisfeitos com as últimas propostas de reajuste salarial apresentada pela Setransbel (Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros) porque está muito abaixo da inflação.

Uma última reunião de negociação estava prevista para esta terça-feira (17), mas foi adiada para a quarta-feira (18), a pedido da Setransbel. A reunião deverá ocorrer às 9h, na Superintendência Regional do Trabalho. O resultado da discussão será levado aos trabalhadores em uma assembleia prevista para as 18h, que poderá determinar a paralisação dos rodoviários.

“Se quarta-feira não decidirem nada, na madrugada da quinta (19) nenhum ônibus vai funcionar. Mas se sair, vai ser com a catraca livre porque o rodoviário não está contra a população, só queremos reivindicar nosso reajuste salarial. Se teve esse aumento absurdo de passagem, por que os trabalhadores não podem trabalhar dignamente?”, dispara Huellen Ferreira, presidente do Sintram (Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Ananindeua e Marituba).

Na semana passada, em matéria publicada pelo DOL, a categoria de Ananindeua e Marituba já discutia a possibilidade de rodar com a catraca livre. Se confirmada, a população dessas duas cidades poderão rodar nos coletivos sem pagar a passagem.

AUMENTO DE PASSAGEM

O aumento da tarifa de ônibus foi aprovado no dia 15 de fevereiro de 2018 durante reunião do Conselho Municipal de Transportes. Por oito votos a quatro, foi autorizado que o trabalhador pagasse R$ 3,30. Apesar do aumento, nenhuma melhora na qualidade dos transportes foi anunciada.

Na época o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) afirmou que as propostas oferecidas - R$ 3,31 da Semob (Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém) e R$ 3,61 da Setransbel (Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Belém) - não estavam de acordo com o último reajuste feito em Janeiro de 2017.

(DOL)



Conteúdo Relacionado:





Comentários

Destaques no DOL