Entretenimento / Cultura

MÚSICA BRASILEIRA

Belenense Tula Tânia se prepara para lançar o disco “#Soseforagora”, gravado em São Paulo

Quarta-Feira, 04/04/2018, 10:31:47 - Atualizado em 04/04/2018, 10:31:47 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Belenense Tula Tânia se prepara para lançar o disco “#Soseforagora”, gravado em São Paulo (Foto: Ricardo Amanajás)
A artista trará o show do novo trabalho para Belém no mês de julho. (Foto: Ricardo Amanajás)

Tula Tânia é de Belém e é uma artista bem peculiar. Sua carreira artística contou com imersões distintas, como a direção de um curta-metragem e a criação de figurinos para outros artistas. Na música, ela é compositora, cantora, intérprete, arranjadora vocal, professora, e possui dois discos gravados. Um deles, intitulado “#Soseforagora”, assinado pelo duo “Vic e Tula”, com o baixista Victor Hime, sai do forno dia 23 de maio, com show de lançamento em São Paulo, onde ela reside há 10 anos. E ela começa os preparativos para trazê-lo em julho para Belém.

“Tenho encontrado com músicos, produtores, sei que a cena aqui está muito legal. Quero também visitar os lugares para decidir onde fazer o lançamento e fazer alguns passeios familiares”, conta Tula, em entrevista ao Você. A construção desse novo álbum foi um momento de aprendizado profundo, autoconhecimento e de reciclagem para a artista. “Reciclagem em vários sentidos”, aponta.

O disco de seis faixas foi gravado graças a um projeto de financiamento coletivo que contou com apoio de mais de 200 pessoas de diversas cidades do Brasil. Além disso, a faixa-título teve como convidado especial o grupo de percussão com sucata Embatucadores (SP). “Pude fazer um laboratório como produtora, me descobri como arranjadora vocal. Sou leonina, então gosto de extravagância, brilho, purpurina, usei isso nos arranjos vocais (risos)”, conta Tula.

As canções também fazem um encontro de sonoridades e referências culturais da dupla, com a ajuda de músicos como o amazonense Daniel Camiranga nas guitarras, o baiano Wellington Sancho na percuteria, e o argentino Lisandro Massa nos sintetizadores, além de Pablo Moura na sanfona. “Esse álbum é uma ode à música brasileira. E todos os músicos tinham isso em comum”, diz a artista.

Apesar de ser de São Paulo, Pablo trouxe com sua sanfona a levada da música nordestina tradicional. “Ele já tocou com Dominguinhos e cada músico foi convidado a trazer essas referências que a gente já tinha”, explica a paraense. Já no baião “Tanta Saudade”, com vocais inspirados em cantos de monges tibetanos, toques de Tabla (instrumento conhecido na músicaclássica indiana) foram acrescentados por Wellington.

Parcerias musicais

Tula tem uma carreira ao lado de Victor Hime desde 2012, percorrendo diversas cidades com diferentes projetos musicais. O carioca é fundador da Produtora Flutu, produzindo trilhas para filmes, e com ela divide, além da produção de “#Soseforagora”, as letras de algumas canções, como “Fala da Velha”, “Arcanjo” e a faixa-título, que encerra o álbum. “A gente escolheu as que mais nos representavam, demos a todas elas um arranjo totalmente novo para o disco. Essa coisa da composição foi muito forte”, diz.

Ela ainda assina em parceria com Luizão Cavalcante o baião “Tanta Saudade”, enquanto Victor divide com Rodrigo Magalhães, a dançante “A Menina Tem Jeito de Xote”.

Trazer sua música pela primeira vez, para a sua terra-natal gera grande expectativa. “Eu sinto que Belém tem uma energia única, uma potência de vida, potência artística. Me reconheço muito aqui”, afirma Tula, que fica por aqui até a próxima semana.

Mesmo de longe, já vai ser possível compartilhar o novo trabalho a partir de 30 de maio. O álbum estará para audição via streaming e em seu canal no Youtube. Por aqui, a expectativa fica para a volta, em julho.

(Lais Azevedo/Diário do Pará)







Comentários

Destaques no DOL