Notícias / Pará

REIVINDICAÇÕES

Servidores do Estado mantêm estado de greve

Quarta-Feira, 28/03/2018, 07:19:43 - Atualizado em 28/03/2018, 09:23:07 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Servidores do Estado mantêm estado de greve (Foto: Maycon Nunes/Diário do Pará)
Após reunião na Sead, os servidores continuam insatisfeitos com desculpas dadas pelo Governo. (Foto: Maycon Nunes/Diário do Pará)

Servidores públicos estaduais decidiram, em assembleia geral, continuar em Estado de Greve após o Governo do Estado adiar para o próximo dia 10 de abril a apresentação da contraproposta à pauta de reivindicação de reajuste salarial da categoria. O comunicado foi feito pela secretária de Estado de Administração (Sead), Alice Viana, durante a reunião realizada na tarde de ontem (27), na sede da secretaria, com a presença de alguns representantes de 22 sindicatos que fazem parte do Fórum dos Servidores do Estado. 

Em 10 de abril, os servidores pretendem paralisar as atividades em diversos setores do serviço público estadual para estarem reunidos desde as 10h em frente à Sead. “Significa que podemos aprovar a qualquer momento uma greve geral. No dia 10, estaremos em assembleia geral que vai decidir os rumos do movimento, dependo da resposta do governo”, disse Waldo Martins, presidente da Federação dos Servidores Públicos do Estado do Pará. 

De acordo com Waldo, a Sead convocou as entidades para informar apenas que ainda não tem uma posição quanto à pauta econômica que prevê, entre outros, reajustes de diárias, salarial e de auxílio alimentação dos servidores. Waldo disse ainda que, de antemão, o Governo já sinalizou que não concederá um reajuste acima da inflação, em virtude da Lei Eleitoral, já descartando conceder o reajuste salarial de 30% que a categoria solicita. 

“Não vimos com bons olhos essa primeira reunião, porque desde já o Governo colocou que não dará reajuste acima da inflação. Esse não é o nosso entendimento porque alguns estados mais pobres, como o Maranhão, concedeu reajuste acima inflação e ainda implementou o piso dos professores”, pontua.

A categoria afirma que tentará sensibilizar o governo para atender os itens da campanha salarial dos servidores. “Nós vamos para essa próxima reunião com a perspectiva de que podemos sensibilizar o Governo de que os servidores tiveram perdas salariais astronômicas e esperamos que o Governo esteja sensível e que atenda essa pauta”, reforça. Eles reivindicam o reajuste salarial de 30%; equiparação do auxílio alimentação em R$1.100,00 para todo o serviço público; manutenção dos auxílios e gratificações no período de licença-prêmio e licença-saúde; novos concursos para órgãos com carência de servidores e reajuste das diárias congeladas desde 2007.

(Pryscila Soares/Diário do Pará)







Comentários

Destaques no DOL