Notícias / Pará

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Evandro Chagas confirma contaminação da Hydro em Barcarena

Quinta-Feira, 22/02/2018, 17:15:20 - Atualizado em 22/02/2018, 20:10:16 Ver comentário(s) A- A+

Evandro Chagas confirma contaminação da Hydro em Barcarena (Foto: Drone/RBA)
(Foto: Drone/RBA)

Impactos ambientais, danos à saúde da população e risco eminente de novos transbordamentos. Esses foram alguns dos pontos apresentados pelo Instituto Evandro Chagas (IEC) nesta quinta-feira (22), em um laudo confirmando a contaminação do de Barcarena, no nordeste paraense, após bácias de rejeitos da Hydro transbordarem no município.

O caso ficou conhecido após moradores da cidade denunciarem a criação mais de vinte bacias na área para receberem rejeitos químicos, em especial de bauxita. No último fim de semana, as estruturas romperam, causando o vazamento do líquido.

Segundo o IEC, as amostras de água coletadas em Barcarena apresentaram números elevados de diversas substâncias nocivas, como fósforo total, alumínio, nitrato e sódio, além da elevação da alcalinidade da águas, atestando uma situação de dano ambiental ao ecosistema local.

Ainda de acordo com laudo, as populações das três principais comunidades afetadas, Bom Futuro, Vila Nova e Burajuba, possuem, em sua maioria, poços artesianos de baixa profundidade em casa, o que facilita a contaminação pelo resíduo. Uma estimativa prévia é que pelo menos 300 pessoas tenham sido afetadas pelos vazamentos recentes. Entre os principais danos causados pela contaminação, estão problemas dermatolócidos e gástricos, além de possíveis danos respiratórios. 

Outro dado alarmante levantado pelo IEC é que o "risco eminente de novos vazamentos", já que o Pará ainda vive o período de chuvas, o que facilita o transbordo das bacias de rejeitos.

Um laudo técnico deverá ser apresentado nesta sexta-feira (12) aos Ministérios Públicos Federal e Estadual, além da Defensoria Pública e secretarías municipal e Estadual de Meio Ambiente, para que sejam tomadas as medidas legais sobre o caso.

(DOL com informações de Pryscila Soares/Diário do Pará)







Comentários