Notícias / Pará

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Falta de extintores preocupa feirantes do Ver-o-Peso

Terça-Feira, 13/02/2018, 08:01:15 - Atualizado em 13/02/2018, 08:01:15 Ver comentário(s) A- A+

Falta de  extintores preocupa feirantes do Ver-o-Peso (Foto: Fernando Araújo)
Preocupação é maior na parte de venda de comida, uma vez que o trabalho envolve gás de cozinha (Foto: Fernando Araújo)

Há 4 anos, Osvaldina Ferreira, 68 anos, perdeu tudo no box onde trabalha vendendo refeição no Mercado do Ver-o-Peso, em Belém, após a explosão do botijão de gás de cozinha. Ela lembra que, para apagarem o fogo, outros feirantes conseguiram extintor com motoristas de ônibus que passavam naquele momento. “Foi o maior desespero. Eu não sabia que tinha extintor aqui na feira. A maioria trabalha fazendo comida usando gás. Isso é um perigo”, disse.

Segundo ela, o acidente ocorreu por causa da má-colocação da borracha no botijão. “Não teve vítima, mas eu perdi tudo”, diz. De lá pra cá, outros acidentes envolvendo fogo já aconteceram na feira. Também vendedora de refeição, Daniele Nascimento comenta que já presenciou pelo menos 3 explosões, seja de botijão ou de panela. E, no último dia 2, houve um princípio de incêndio em outra barraca e não tinha equipamento de segurança, como o extintor de incêndio.

Há 4 anos, um botijão de gás explodiu no box de Osvaldina (Foto: Fernando Araújo)

“A gente trabalha com medo. É tanta gente que passa por aqui, de toda parte do mundo que também corre risco, caso um acidente ocorra”, comenta. “Tinha apenas um extintor para atender o box inteiro, mas nem funcionava. Sem contar que a instalação elétrica está toda comprometida. Estamos abandonados”, denuncia.

A falta de extintores na feira para serem utilizados em caso de ocorrências como incêndios, também assusta quem frequenta o espaço. “A gente percebe que é um botijão perto do outro. A quentura é muito grande, com essa dificuldade de extintor, o problema pode piorar. Acredito que cada box deveria ter um extintor. Se um novo acidente acontecer e pegar nessa lona que cobre a feira, isso vai para o espaço. É muito sério”, avalia o autônomo Miguel Alves, 52.

"Sem contar que a instalação elétrica está toda comprometida. Estamos abandonados”, Daniele Nascimento, Vendedora de refeição (Foto: Fernando Araújo)

PRAZO

Durante visita ao Ver-o-Peso, na semana passada, a reportagem encontrou apenas um extintor entre uma barraca e outra. Além de sujo, ele estava com rótulo de garantia de manutenção vencida há quase 2 anos, pois a validade é de apenas 12 meses.

Procurada, a Secretaria Municipal de Economia (Secon) respondeu que os extintores de incêndio do Complexo do Ver-o-Peso foram retirados temporariamente para a substituição dos equipamentos que estavam próximo do prazo de validade. A Secon diz ainda que os extintores serão recolocados gradativamente no complexo 
até esta semana.

(Michelle Daniel/Diário do Pará)







Comentários