Notícias / Tecnologia

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Ave mais velha do mundo vira mãe aos 67 anos

Segunda-Feira, 08/01/2018, 14:00:04 - Atualizado em 08/01/2018, 15:08:43 Ver comentário(s) A- A+

Ave mais velha do mundo vira mãe aos 67 anos (Foto: Reprodução / USFWS Volunteer)
(Foto: Reprodução / USFWS Volunteer)
A ave albatroz-de-laysan nomeada de Wisdom (sabedoria, em português) está desafiando as normas de sua espécie. Conhecida por ser o pássaro selvagem vivo mais antigo que se tem registro, Wisdom, aos 67 anos, segue botando ovos e perpetuando a espécie. A expectativa de vida de um albatroz-de-laysan é 50 anos.


“Não temos precedentes de aves de 67 anos que continuam reproduzindo”, afirmou Kate Toniolo, funcionária do Monumento Nacional Marinho de Papahānaumokuākea, nos Estados Unidos, ao National Geographic. É no Monumento Nacional Marinho que Wisdom sempre retorna para botar e chocar seus ovos. 

Leia mais:
+ Após dez anos presa, ursa amputada caminha em liberdade pela primeira vez
+ Baixas temperaturas causam 'chuva de iguanas' na Flórida

A trajetória de Wisdom é acompanhada pelos biológos e cientistas desde 1956, ano em que ela recebeu uma tag de identificação. Naquela época, julgou-se que a ave teria cerca de seis anos – ainda que estipular a idade de pássaros seja uma tarefa difícil, já que eles trocam suas penas para as de cor cinza.

Após ganhar a tag, a ave fez sua segunda aparição somente em 2002, quando ganhou outra identificação. Desde aquele ano, Wisdom tem retornado anualmente ao Monumento Nacional Marinho com outros albatrozes para seus respectivos ninhos.

Wisdom vem chocando um pintinho a cada ano desde 2006. Em dezembro de 2017, ela foi avistada com seu parceiro, Akeakamai, cuidando de um ovo em seu ninho e buscando por alimento. Como as albatroz demoram entre 60 e 64 dias para chocar seus ovos, o novo filhote deve chegar ao mundo no meio de fevereiro. Essa nova ave deverá ser o seu 40º filhote.

Os albatrozes
Os albatrozes não têm menopausa – apenas os humanos e as orcas são marcados por essa etapa fisiológica. Por isso, não é estranho que Wisdom continue a se reproduzir.

Outra característica interessante dos albatrozes é que essas aves formam laços monogâmicos por toda a vida com seus parceiros e até passam por períodos de luto se um deles falecer. Segundo  o United States Fish e Wildlife Service, Wisdom já perdeu um de seus companheiros. 

De 1900 até o início de 2000, o número de aves albatroz-de-laysan vinha declinando e só agora está se recuperando. Porém, a espécie segue classificada como “quase ameaçada” na Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais.

É por isso que o trabalho de Wisdom está sendo tão importante e relevante para a comunidade de aves. Cada novo ovo e filhote, uma nova esperança para a espécie.

Curte o conteúdo da GALILEU? Tem mais de onde ele veio: baixe o app da Globo Mais para ver reportagens exclusivas e ficar por dentro de todas as publicações da Editora Globo. Você também pode assinar a revista, por R$ 4,90 e baixar o app da GALILEU.

Fonte: Revista Galileu







Comentários