Notícias / Pará

EDIÇÃO ELETRÔNICA

'Taradão' volta à prisão pela morte de irmã Dorothy Stang

Quarta-Feira, 13/09/2017, 16:43:53 - Atualizado em 13/09/2017, 20:16:35 Ver comentário(s) A- A+

'Taradão' volta à prisão pela morte de irmã Dorothy Stang (Foto: Arquivo/Diário do Pará)
(Foto: Arquivo/Diário do Pará)

O fazendeiro Regivaldo Pereira Galvão, conhecido como "Taradão", foi preso em sua residência em Altamira, no sudeste paraense, nesta quarta-feira (13).  Segundo informações da Polícia Federal, ele foi preso em cumprimento a um mandado expedido em junho de 2017, condenado pelo assassinato de Dorothy Stang, em 2005, em Anapu, região sudeste do Estado.

Regivaldo Galvão prestou depoimento na Polícia Federal e, em seguida, foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Altamira, onde passou por exames. Ele será encaminhado para uma unidade prisional do Estado.

Em 2010, o fazendeiro foi condenado a 30 anos de prisão. Após o julgamento, seus advogados entraram com recurso e ele seguia em liberdade. O Habeas Corpus que garantia o benefício, no entanto, foi negado em junho deste ano.

O caso

Em 12 de fevereiro de 2005, a missionária norte-americana Dorothy Stang, então com 73 anos, que defendia o uso sustentável da terra, no município de Anapu, foi assassinada. Irmã Dorothy lutava pela reforma agrária no Estado do Pará.

“Devemos trazer à sociedade a realidade da questão fundiária no Estado. Temos um compromisso com a vida, com a floresta, com os pobres e com as pessoas que não têm um pedaço de terra, algo que é previsto pela Constituição. Nessa programação, vamos lembrar não só da morte da nossa irmã, mas também do motivo da morte dela”, afirmou Luiza Virgínia Morais em 2015, membra da comissão Dorothy Stang, para marcar a data de 10 anos da morte da religiosa.

(DOL)





Comentários