Notícias / Pará

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Ex-PM que deixou mulher paraplégica tem pena relaxada pela Justiça paraense

Quinta-Feira, 31/08/2017, 21:23:30 - Atualizado em 31/08/2017, 22:06:42 Ver comentário(s) A- A+

Ex-PM que deixou mulher paraplégica tem pena relaxada pela Justiça paraense (Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

O Tribunal do Júri da 3ª Vara Criminal de Belém condenou nesta quinta-feira (31) o ex-policial militar Jefferson Lobato Santos a 17 anos e quatro meses de prisão em regime fechado, por tentativa de homicídio contra Renata Modesto dos Santos em 2010. Entretanto, o réu foi autorizado a permanecer em regime domiciliar até que seja julgado o recurso de apelação contra a sentença condenatória. Renata ficou paraplégica após levar um tiro do ex-PM, que a assediou momentos antes de cometer o crime.

Em sua sentença, o Júri acatou a tese da defesa e abrandou a pena. Os advogados de Jefferson pediram a absolvição alegando que o ex-PM estava sob efeitos da combinação de remédios e álcool no momento do crime, portanto, no entendimento da defesa, incapaz de responder por seus atos. Durante o julgamento, um dos advogados de Jefferson chegou a prometer para a juíza que pediria ao ex-PM auxiliar a vítima espontâneamente.

A vítima esteve presente durante todo o julgamento, que durou cerca de 13 horas. Durante sua fala, Renata deu detalhes do crime. "Ele veio e perguntou se eu não tinha gostado e passou a mão em mim, perto dos meus seios. Eu revidei. Ele meteu a mão na bolsa onde estava a arma e disse que era polícia", disse Renata. Ela foi agredida com um soco no rosto e atingida por dois disparos pelas costas.

A defesa de Renata manifestou que irá recorrer da decisão em breve.

O CRIME

O crime aconteceu no dia 15 de janeiro no bairro do Mangueirão, em Belém. Renata estava a caminho da casa de uma amiga quando o ex-Pm aproximou-se tocando em suas partes íntimas. A vítima reagiu acertando um tapa no rosto do agressor, que revidou com um soco que quebrou dois dentes de Renata. Não satisfeito, Jefferson atirou em Renata no chão. O tiro a deixou paraplégica.

(DOL)





Comentários