Notícias / Pará

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Apesar do descrédito, Zenaldo reafirma que BRT ficará pronto até 30 de dezembro deste ano

Quarta-Feira, 23/08/2017, 08:09:15 - Atualizado em 23/08/2017, 11:03:03 Ver comentário(s) A- A+

Apesar do descrédito, Zenaldo reafirma que BRT ficará pronto até 30 de dezembro deste ano (Foto: Fernando Araújo)
A obra tem de acelerar para que o prefeito cumpra sua promessa (Foto: Fernando Araújo)

“Essa obra não fica pronta até o final do ano porque eles fazem de pedacinho por pedacinho e nunca terminam”. Esse é o problema apontado pela universitária Larissa Silva, 20, quando questionada sobre a expectativa de conclusão das obras do BRT. Apesar do descrédito demonstrado não apenas por ela, mas por boa parte da população de Belém, o Prefeito Zenaldo Coutinho garantiu, em audiência pública realizada ontem, que até o dia 30 de dezembro deste ano as obras estarão concluídas até Icoaraci.

Reunindo representantes das secretarias envolvidas no projeto do sistema de transporte rápido, além de servidores e membros da comunidade, a audiência pública foi realizada na sede do Ministério Público do Pará (MPPA). A presidência da audiência ficou a cargo do promotor da Promotoria de Justiça de Meio Ambiente, Patrimônio Cultural, Habitação e Urbanismo de Belém, Raimundo de Moraes. “Está insuficiente o grau de comunicação entre a Prefeitura e a sociedade”, afirmou o promotor.

Além da necessidade de maior esclarecimento por parte da Prefeitura, ele ainda destacou a percepção de lentidão na implementação do sistema como um dos fatores que levaram à realização da reunião. “O conceito de BRT não é apenas o da obra física, mas sim de um sistema que deve se desdobrar na integração”, disse.

Zenaldo fez questão de estimar que toda a obra da avenida Augusto Montenegro até o distrito de Icoaraci – incluindo o elevado da avenida Centenário – será concluída e entregue até 30 de dezembro de 2017. Ele ainda garantiu que em janeiro de 2018 o sistema integrado já estará funcionando. “Está pronto o edital de licitação para a contratação da empresa operadora do sistema e em janeiro já vamos estar com o sistema todo integrado”, prometeu.

Apesar dos prazos estipulados durante a audiência, o representante do Observatório Social de Belém, Ivan Costa, destacou alguns aspectos que ainda necessitam ter acesso facilitado pela sociedade. Segundo ele, apenas ontem a PMB disponibilizou um hotsite que agrega em um único local as informações sobre o BRT. “Mas precisamos que lá também esteja esclarecido quanto já foi gasto com a obra, qual o cronograma de conclusão e um canal de comunicação com a sociedade”, enumerou.

Ele ainda destaca a necessidade de controle estatístico das mortes já ocorridas no BRT nesse período de implementação, até para conscientizar a população sobre os riscos.

O diálogo mais aberto com a sociedade também é defendido pelo coordenador geral do Conselho de Comunidades da Grande Sideral, Higino Muniz, que também estava na audiência. “As obras têm trazido muitos transtornos e o nosso posicionamento é de facilitar o diálogo com as comunidades”, disse.

(Cintia Magno/Diário do Pará)





Comentários