Notícias / Pará

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Pará já registrou mais de 700 incêndios este ano

Terça-Feira, 08/08/2017, 07:36:13 - Atualizado em 08/08/2017, 07:36:13 Ver comentário(s) A- A+

Pará já registrou mais de 700 incêndios este ano (Foto: Mário Quadros)
A maioria das ocorrências foi em julho, o período mais seco: 442.. (Foto: Mário Quadros)

A chegada do período de estiagem e o aumento das temperaturas contribuem para elevar as ocorrências de incêndio, seja em vegetações ou pela queima de lixo doméstico/entulhos.

De janeiro até ontem, o Sistema de Cadastro de Ocorrências (Siscob), do Corpo de Bombeiros Militar do Pará (CBM/PA), já contabilizou 716 registros desses tipos no Pará. Deste total, 422 ocorrências foram somente no mês passado, justamente pela predominância de um clima mais seco em todo o Estado.

Segundo o capitão Willames Andrade, por mais que pareça uma prática inofensiva para quem tem esse costume, a queima do lixo doméstico ou de entulhos, quando constatada a poluição ambiental ou danos à saúde humana, é considerada crime.

Em seu artigo 54, a Lei de Crimes Ambientais, nº 9.605/1998, descreve como crime de poluição qualquer ato que coloque em risco a saúde humana, a segurança dos animais ou cause a destruição à flora. O responsável está sujeito à reclusão de um a quatro anos, além de multa.

“Essas queimas exigem técnicas como a posição do fogo, a hora de se fazer, entre outros. Ou seja, não é tão simples”, explica.

ORIENTAÇÕES

 O capitão afirma que o Corpo de Bombeiros recomenda à população a não fazer a queima de lixo doméstico sem critério e por conta própria, já que pode tomar proporções incontroláveis, sobretudo nesta época do ano. “Nunca faça queimadas próximo de vegetação nem jogue cigarros nas estradas”, acrescenta.

Se um morador perceber alguém provocando poluição por meio da queima de lixo, a orientação é ligar para o 190. “A fumaça liberada por esse tipo de queima é tóxica e causa tanto impactos ambientais quanto problemas respiratórios e irritação nos olhos”, alerta o militar, ressaltando que, nas estradas, a fumaça pode ser ainda um fator de risco para acidentes automobilísticos, já que compromete a visibilidade do condutor.

ESCOLA

Na tarde da última sexta-feira (4), as aulas precisaram ser suspensas na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Acácio Felício Sobral, no bairro de Canudos, em Belém.

A fumaça liberada pela queima de lixão em um terreno situado próximo à escola causou um mal estar generalizado nos alunos e funcionários da instituição. Na ocasião, o Corpo de Bombeiros foi acionado e as chamas foram controladas.

PARA ENTENDER:

Se você vir alguém provocar poluição por meio da queima de lixo, ligue para o 190 e/ou acione órgãos competentes.

Em seu artigo 54, a Lei de Crimes Ambientais, nº 9.605/1998, descreve como crime de poluição qualquer ato que coloque em risco a saúde humana, a segurança dos animais ou cause a destruição à flora.

(Pryscila Soares/Diário do Pará)





Comentários