Notícias / Pará

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Augusto Montenegro: buracos e sinalização precária

Sábado, 17/06/2017, 07:33:26 - Atualizado em 17/06/2017, 07:41:25 Ver comentário(s) A- A+

Augusto Montenegro: buracos e sinalização precária (Foto: Celso Rodrigues)
(Foto: Celso Rodrigues)

Uma das vias de maior tráfego de Belém, a Augusto Montenegro está em situação lamentável. A avenida dá acesso ao distrito de Icoaraci e é caminho para alguns lugares como o Estádio Olímpico do Pará (Mangueirão), o Complexo Poliesportivo Guilherme Paraense e o Centro de Ciências e Planetário do Pará. Além disso, é onde está sendo contruído boa parte do projeto do Bus Rapid Transit (BRT). Porém, mesmo diante de tamanha importância, não dispõe de sinalização adequada, o trânsito é quase sempre caótico e há muitos buracos pela via.

Em trechos ainda em obras do BRT, a situação é pior. Na altura da rua Satélite, há paradas de ônibus bem movimentadas, já que fica perto de um grande supermercado e de um curso preparatório para concursos públicos. Apesar disso, não há faixa de pedestre, sinal ou passarela para a população fazer a travessia. Assim, as pessoas precisam atravessar a rua e esperar no meio-fio, entre os bloquetes do BRT, até que o fluxo de veículos reduza e, então, correr para chegar ao outro lado. A operária Romilda da Silva, de 31 anos, teve de se arriscar com a filha de 9 anos dessa forma. “É bem perigoso e é todo dia assim”, denuncia.

O aposentado Haroldo Pereira, 69, também sentiu muita dificuldade para atravessar a via. Ele é morador das proximidades e precisa conviver diariamente com os obstáculos causados pela sinalização precária e ainda desviar dos buracos na rodovia. “Tenho medo de ser atropelado. Sempre foi assim, nunca fazem nada para melhorar”, diz.

COMPLICAÇÃO

A aposentada Maria Miranda, 66, fala que precisa contar com a sorte quando sai de casa. A idosa usa muletas de apoio para se locomover. Atravessar a movimentada Augusto Montenegro para poder pegar o ônibus se torna uma tarefa ainda mais complicada nessas condições. Ela acredita que a Prefeitura de Belém deveria colocar faixa de pedestre e semáforo. “A gente fica dependendo do que os motoristas decidem. Quem pode correr corre. Quem não pode, tem de esperar até eles decidirem parar”, lamenta.

Os buracos tornam o trânsito e a locomoção de pedestres ainda piores, pois trazem riscos de acidentes. E estão por toda parte. Alguns dos trechos bastantes críticos ficam próximos da Rua Netuno e da Rua da Paz. A reportagem tentou falar com as assessorias de comunicação da Prefeitura e da Secretaria de Urbanismo (Seurb), mas ninguém atendeu as ligações. Mandou e-mail, mas não obteve resposta até o fechamento desta edição.

(Alice Martins Morais)





Comentários