Notícias / Pará

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Óbidos em emergência por causa de inundações

Terça-Feira, 16/05/2017, 20:41:00 - Atualizado em 16/05/2017, 21:38:51 Ver comentário(s) A- A+

Óbidos em emergência por causa de inundações (Foto: Divulgação/PMO)
Cheias atingem o funcionamento de vários serviços na cidade desde o início dos alagamentos. (Foto: Divulgação/PMO)

O município de Óbidos, no oeste do Pará, está em estado de emergência após o nível do rio Amazonas ultrapassar a cota de alerta de 7,73cm. O decreto foi feito pelo prefeito da cidade.

Segundo informações da prefeitura municipal de Óbidos, várias vias públicas foram inundadas com danos nas 48 comunidades da zona de várzea.

"Desde que a cota de alerta foi ultrapassada, as ruas da área comercial, avenida Almirante Tamandaré e rua Siqueira Campos, foram inundadas pelo rio. Outro trecho urbano que foi atingido pela cheia é a travessa Pauxis no bairro de Lourdes, e a Rua Graciliano Negreiro no bairro Cidade Nova. Nesses locais, pontes foram construídas pelo governo municipal para facilitar o acesso dos moradores as residências", disse a nota emitida pela prefeitura.

Segundo o decreto 344 de 12 de maio de 2017, que declara situação anormal caracterizada como situação de emergência, a inundação trouxe a população obidense grandes transtornos alagando os logradouros da cidade que dão acesso as residências, ao cais de arrimo dificultando o embarque e desembarque de passageiros e cargas, além de prejudicar o trabalho dos pescadores, o turismo, o funcionamento de algumas escolas, além de afetar o movimento no centro comercial da cidade.

Ainda de acordo com o poder municipal, na zona de várzea o alagamento danificou residências, plantações, a atividade agropecuária, apicultores, escolas, creches, espaços comentários, igrejas, comércios e pontes.

O parecer do documento é baseado no levantamento da  Defesa Civil que recomendou a decretação.

O rio Amazonas atingiu a marca dos 7,97cm, e está a três dias paralisado nesta cota, segundo os levantamentos realizados pela Agência Nacional das Águas (ANA).

“Os efeitos danosos ocasionados pela invasão da água em vários trechos da área urbana e os danos causados a população ribeirinha, nos levaram a orientar que o prefeito decretasse situação de emergência devido a enchente”, disse Ary Franco, coordenador da defesa civil.

Com o decreto está autorizado a mobilização de todos os órgãos municipais para atuarem sob a coordenação da defesa civil municipal, nas ações de resposta ao desastre e reabilitação dos cenários afetados pela enchente.

Fica também dispensado de licitações os contratos de aquisição de bens necessários às atividades de resposta ao desastre, de prestação de serviços e de obras relacionadas com a reabilitação dos cenários dos desastres, desde que possam ser concluídas no prazo de 180 dias consecutivos e ininterruptos.

(Com informações da prefeitura de Óbidos)



Comentários