Notícias / Pará

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Familiares pedem proteção do Estado a policiais

Segunda-Feira, 13/02/2017, 11:31:25 - Atualizado em 13/02/2017, 16:56:27 Ver comentário(s) A- A+

Familiares pedem proteção do Estado a policiais (Foto: Fernando Araújo/Diário do Pará)
(Foto: Fernando Araújo/Diário do Pará)

Esposas e familiares de Policiais Militares do Pará continuam acampados em frente ao Comando Geral da PM, na travessa Brigadeiro Protásio, em Belém, na manhã desta segunda-feira (13). Cerca de 40 mulheres estão no local. 

A entrada do Comando Geral da PM está bloqueada para a entrada de veículos, porém, os militares podem entrar e sair andando do local. 


(Foto: Fernando Araújo/Diário do Pará)

Com medo de represárias aos maridos, as esposas se denominam "Marias" e não divulgam os seus nomes. Elas não descartam realizar um ato na tarde de hoje. 

Ninguém entra ou sai 

A estratégia utilizada pelas mulheres dos policiais desde a última sexta-feira (10) é não permitir que nenhum veículo oficial - viatura ou motocicleta - saia da guarnição. Outra decisão tomada foi a de impedir a saída de PMs fardados dos seus locais de trabalho.

O objetivo é dificultar o policiamento nas ruas, ainda que, oficialmente, o governo garanta que o trabalho até o momento continua normal. Desde o início do movimento, o dia mais tenso foi registrado ontem por ocasião da partida de futebol entre Remo e Paysandu. Com uma equipe acampada em frente ao portão de entrada do Batalhão de Polícia Ambiental (BPA), no Utinga, as mulheres impediram que um grupo de policiais escalados para fazer a segurança do jogo, saísse para o trabalho.

As manifestantes balançaram o veículo e os PMs tiveram de descer do carro e retornar ao Batalhão. Momentos antes de a partida iniciar, pelo menos 5 viaturas estavam paradas na avenida João Paulo II. No Comando Geral, alguns policiais tentaram pular o muro fardados na tentativa de furar o bloqueio do portão, mas desistiram.

As mulheres estão proibidas de dar declarações, mas duas delas informaram ao DIÁRIO que estão sendo ameaçadas pelas redes sociais por pessoas que, segundo elas, seriam mandatárias do governo. "Eles estão mandando recado no Facebook e Whatsapp, dizendo pra gente que se nossos maridos forem identificados vão sofrer punições", disse uma líder no movimento.

Manifestação

Na sexta-feira passada (10), a avenida Almirante Barroso foi interditada no sentido Entroncamento-São Brás por familiares dos PM's. Eles pediam reajuste salarial, auxílios, melhores condições de trabalho e segurança aos policiais. Veja o vídeo:

(DOL com informações de Cintia Magno/Diário do Pará)



Comentários