Notícias / Pará

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Pais denunciam deficiência em programa do Estado

Sexta-Feira, 10/02/2017, 11:38:37 - Atualizado em 10/02/2017, 12:06:59 Ver comentário(s) A- A+

Pais denunciam deficiência em programa do Estado (Foto: )

A contadora Josiane Bena e mais um grupo de pais voltaram a acionar o Ministério Público do Estado nesta sexta-feira (10) para denunciar o descaso no atendimento de pacientes cadastrados no programa de Continência Urinária, via Sistema Único de Saúde (SUS).

Segundo Josiane, a Unidade de Referência Especializada Demétrio Medrado, da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), localizada no bairro da Sacramenta, em Belém, onde tem vários pacientes cadastrados, não está mais distribuindo os cateteres unitários.

“Desde março do ano passado a distribuição vem diminuindo. Foi feita uma denúncia no MP e depois tivemos uma reunião com representantes da saúde de que iria haver a regularização para a compra do material, entretanto, os pacientes estão sem receber as bolsas por falta de estoque”, denuncia.

Josiane tem uma filha de 10 anos com mielomeningocele - uma deficiência congênita em que a medula não se desenvolve da maneira adequada - entre os 80 pacientes cadastrados no programa, com perfis diferenciados, entre idosos, adultos e crianças.Com a situação agregada ao quadro, a filha de Josiane tem uma disfunção que não permite que ela controle o aparelho urinário. A menina usa cerca de 180 bolsas por mês e com a falta vem sendo reutilizada, para desespero da mãe.

“Nós estamos tendo que reutilizar o que já temos em casa, o que não pode ser feito por poder gerar uma infecção”, lamenta a contadora, que não sabe mais a quem recorrer.

Josiane revela que a situação que estava no âmbito administrativo agora deve passar para uma ação civil após o encontro de hoje no Ministério Público. O caso está sendo acompanhado pelo promotor Waldir Macieira, da Promotoria de Defesa das Pessoas com Deficiência.

“Após a denúncia de hoje no MP, ficou definido que terça-feira será dada entrada no processo civil exigindo que o Estado compre com urgência esse material”, disse Josiane esperançosa.

O DOL entrou em contato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e aguarda um posicionamento com relação às denúncias.

O DOL também entrou em contato com o Ministério Público e aguarda um posicionamento sobre o caso.

(DOL)



Comentários