Notícias / Pará

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Após morte de PM, mais de 30 são executados

Sábado, 21/01/2017, 12:27:42 - Atualizado em 22/01/2017, 12:46:01 Ver comentário(s) A- A+

Após morte de PM, mais de 30 são executados (Foto: Antônio Melo/Diário do Pará)
(Foto: Antônio Melo/Diário do Pará)

A onda de assassinatos que tomou conta de Belém desde a última sexta-feira (20) será alvo de uma investigação especial, realizada por diversos órgãos do sistema de segurança do Pará. Entre a manhã de sexta e a noite de sábado (21), foram registrados mais de 30 execuções na Grande Belém, segundo dados atualizados. A suspeita é que a maioria dos assassinatos tenham ligação com a morte do soldado Rafael da Silva Costa, da Rotam.

Em nota, a Polícia Militar informou que "a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Pará instalou um gabinete permanente de situação, envolvendo todos os órgãos da área para acompanhar e monitorar os acontecimentos". Na manhã de sábado, foi feita uma reunião com gestores dos órgãos de segurança para discutir o caso e determinar uma "rigorosa apuração de todos os crimes, com envolvimento direto das corregedorias da Polícia Civil e Polícia Militar, para esclarecer os fatos, identificar e punir os responsáveis".

O elevado índice de violência relembra a chacina ocorrida em 2014 nos bairros do Guamá, Jurunas e Terra Firme, em Belém, após a morte do cabo da Rotam Antônio Marco Figueiredo, conhecido como Pet. Na ocasião, 11 pessoas foram mortas após a execução do policial. Investigação sobre o caso aponta que alguns dos crimes foram uma retaliação contra a morte do PM.

(DOL)



Comentários