Notícias / Pará

EDIÇÃO ELETRÔNICA

População cobra cassação de Zenaldo

Quarta-Feira, 07/12/2016, 07:25:25 - Atualizado em 07/12/2016, 07:30:11 Ver comentário(s) A- A+

População cobra cassação de Zenaldo (Foto: Fernando Araújo)
(Foto: Fernando Araújo)

Para pressionar o plenário a decidir a cassação definitiva do prefeito reeleito de Belém Zenaldo Coutinho, manifestantes se uniram em frente ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) na manhã de ontem (06), em ato pacífico. Na data, esperava-se que fosse julgado o processo de Zenaldo referente a irregularidades na inauguração do Bus Rapid Transit (BRT), uma das denúncias que integram o pedido de cassação, mas o assunto não entrou na pauta do dia.

Mesmo assim, os manifestantes permaneceram no local para pressionar as autoridades. Desde o período eleitoral, Zenaldo vem sofrendo processos por irregularidades na campanha e já foi submetido a 2 pedidos de cassação. Ambas com o aval da Justiça Eleitoral. Além de manifestantes contrários ao prefeito, havia também correligionários de Zenaldo nas ruas próximas à sede do Tribunal, em Belém. Mas não houve atrito algum entre os grupos, em que pese a presença da Polícia Militar.

PROTESTO

Mesmo próximo ao início do próximo mandato da Prefeitura, o movimento que pede o julgamento da cassação do prefeito garante que não se calará. “Zenaldo responde por vários processos e isso só mostra o quanto ele não conseguirá tomar a posse”, afirmou o produtor cultural Jorge André Silva, 38 anos.

Por volta das 10h, os manifestantes contrários a Zenaldo fecharam a rua e se deitaram no meio da pista e fizeram um minuto de silêncio simbolizando o que definiram como “a morte da saúde pública em Belém”. Logo depois, a Polícia Militar decidiu afastar mais os dois grupos para evitar conflitos físicos.

CRIME ELEITORAL

Em sessão plenária no dia 11 de novembro, os juízes do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Pará consideraram que há indícios de crime eleitoral na candidatura de Zenaldo Coutinho, prefeito de Belém, reeleito no 2º turno. A suspeita é de que a Prefeitura teria demitido 308 funcionários da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), para substituir por pessoas favoráveis ao partido do candidato, o que caracteriza formação de curral eleitoral.

BRT

Com relação ao BRT, Zenaldo é acusado por ter dado gratuidade na passagem do BRT em julho deste ano. Para a Procuradoria Regional Eleitoral, autora da denúncia, essa foi uma estratégia para garantir votos. Caso seja condenado, o prefeito pode perder o mandato e ser impedido de disputar as eleições de outubro.

(Aice Martins Morais)

Leia também:

Comentários