Notícias / Pará

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Lixo que vira adubo é realidade em Santarém

Terça-Feira, 18/10/2016, 13:24:32 - Atualizado em 18/10/2016, 13:58:27 Ver comentário(s) A- A+

Lixo que vira adubo é realidade em Santarém (Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Um projeto de sustentabilidade idealizado por um hospital público no interior do Amazônia tem mudado a maneira da destinação do lixo orgânico gerado pela unidade. Em vez de continuar mandando quatro toneladas mensais desse tipo de resíduo para o aterro sanitário municipal, o Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), localizado em Santarém, Oeste do Pará, transforma o material em adubo e cultiva horta na própria área externa da instituição.

Com isso, a unidade contribui com o meio ambiente, reduz gastos com a compra de alimentos e proporciona uma alimentação mais saudável para usuários, acompanhantes e colaboradores.

O projeto “Compostagem e Horta Orgânica” foi lançado em outubro de 2015. A compostagem é a primeira etapa do projeto e envolve um processo biológico que permite transformar matéria orgânica em um composto rico em substâncias e nutrientes para o uso em jardins e hortas. Os resíduos que antes eram desperdiçados passaram a ser aproveitados em benefício da comunidade do hospital.

O projeto conta com a parceria da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-PA), da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) e a Universidade Luterana do Brasil (Ulbra).

O secretário de Meio Ambiente de Santarém, Podalyro Neto, revela que a fração orgânica é um dos grandes problemas enfrentados pelo município. A geração de lixo orgânico representa mais de 60% do total de resíduos domésticos de Santarém. “Esse projeto serve como espelho e estímulo, porque ver que uma instituição está gerando o seu próprio alimento de maneira saudável a partir do seu resíduo orgânico serve de exemplo e pode ser adotado em outros lugares”, elogia Neto.

Processo de compostagem
Três toneladas de resíduos já foram transformadas em adubo para alimentar a horta. A previsão é de que em outubro, 30% do lixo orgânico sejam reaproveitados. “Para um futuro, a médio prazo, planejamos atingir 50% da quantidade de resíduos, o que já vai ser muito”, diz o agrônomo da Emater-PA, Pedro de Souza, responsável pela execução do projeto.  Ele explica que três tipos de processos de compostagem são usados no Hospital Regional de Santarém.

Leia também:

Comentários