Notícias / Pará

EDIÇÃO ELETRÔNICA

"Social da Senhorita Andreza" viraliza

Quinta-Feira, 21/01/2016, 11:06:35 - Atualizado em 22/01/2016, 11:09:30 Ver comentário(s) A- A+

(Foto: Reprodução )

Uma "social" que vai dar o que falar. E já está dando. Circula desde a última semana nas redes sociais um vídeo que mostra uma jovem convidando as pessoas para uma "social" (festa) que ocorreria (ou ocorrerá) no "setor da senhorita Andreza" no próximo sábado (23).

No vídeo, ao fundo, ouve-se uma batida de tecnobrega. As gírias, sotaques e as redes pelas quais circulou rapidamente deixam claro que a autora do vídeo é paraense e, possivelmente, da região metropolitana de Belém.

Para muitos, a tal Andreza em questão é a própria garota que aparece no vídeo. Para outros, poderia ser um código para identificar algum ponto de tráfico ou algo semelhante.

As apologias são feitas sem o menor pudor, o que faz crer que a prática é comum e que o vídeo era destinado a pessoas específicas. "Vamo beber um chopp, cheirar uma 'coca' na manha, sem embaçamento. É... Sem embaçamento. 'Piriquita'? Vai ter muita! Só as dispintadas. Os cara doido? Também. Vão tudo comparecer. Campinho pra legalizar a erva da Jamaica porque tem que ter" (sic), diz a jovem no vídeo.

Assista:

O vídeo, apesar de fazer apologia a consumo de drogas, rapidamente se transformou em piadas e memes. A partir daí, surgiram eventos no Facebook e até mesmo "logística" para a realização da tal "social": abadás, ingressos, imagens de "preparativos", condução. Veja alguns:

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

Apesar das brincadeiras, algo permanece um mistério: qual o endereço da reunião? Também pelas redes sociais circulam imagens da possível localização do local e onde o vídeo teria sido gravado, mas sem identificar o "setor", provavelmente por receio de algo.

 

Imagem: Reprodução

 

O alcance também despertou curiosidade até mesmo da Polícia. A reportagem do DOL entrou em contato com a Polícia Civil para saber se o vídeo e a possível reunião estão sendo investigados e aguarda um posicionamento sobre o caso.


Imagem: Reprodução

 

Segundo o artigo 33 do da Lei de Tóxicos, "importar, exportar, remeter, preparar, produzir, fabricar, adquirir, vender, expor à venda, oferecer, ter em depósito, transportar, trazer consigo, guardar, prescrever, ministrar, entregar a consumo ou fornecer drogas, ainda que gratuitamente, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar" resulta em pena de reclusão de cinco a quinze anos e pagamento de R$500 a R$1.500 dias-multa.

Apologias viraram memes

Não é a primeira vez que um vídeo que faz apologia a um crime se torna meme entre os paraenses, em especial na Grande Belém.

Após a série de assassinatos que ocorreram na madrugada de 05 de novembro de 2014, circulou um vídeo que mostrava um homem, possivelmente um dos suspeitos de matar o cabo Pet, falando "Vemtimbora". A expressão não somente virou meme, como passou a fazer parte da linguagem popular, sendo utilizada até hoje.

(DOL)

Leia também:

Comentários