Notícias / Pará

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Incertezas chinesas afetam Marabá

Quinta-Feira, 09/07/2015, 21:44:00 - Atualizado em 09/07/2015, 21:44:00 Ver comentário(s) A- A+

Incertezas chinesas afetam Marabá (Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

A queda forte das bolsas chinesas chegou ao Ibovespa por intermédio das mercadorias que a China compra do Brasil, como o minério de ferro, por exemplo. De toda a venda de minérios da Vale no primeiro trimestre, um terço foi para a China. Por isso as ações da empresa ficaram entre as piores da queda da Ibovespa com uma desvalorização acima de 4%. A Ibovespa fechou em queda de pouco mais de 1%.

Toda essa situação é acompanhada de perto pelo setor do minério da região do Carajás, e pela Associação Industrial e Comercial de Marabá (Acim), que vê algumas ações da mineradora Vale como contenção e freio para tentar controlar a situação.

Segundo o presidente da Acim, Ítalo Ipojucan, desde o início de 2015 a mineradora está priorizando alguns projetos principais como o S11D e a ampliação da Estrada de Ferro Carajás. “Esses são os principais por justamente serem estratégicos dentro da linha da precificação do minério”, segundo Ítalo.

O grande problema que isso está causando em Marabá e Parauapebas, segundo o presidente da Acim, é o desemprego que, segundo ele, acompanha dia a dia.

SOLUÇÕES

O desafio agora de todo o gestor municipal e estadual e repensar o modelo de forma que se possa atrair plantas industriais e comerciais para voltar a ofertar a empregabilidade na região. “Isso só acontece com uma economia aquecida e o que estamos vendo com o nosso principal vetor de mineração é o desaquecimento”, disse Ítalo Ipojucan.

O setor de serviços tem sido um alívio e um suspiro em toda essa situação e que tem segurado a economia local, segundo o presidente da Acim.

(DOL com informações da Sucursal de Marabá/Diário do Pará)

Leia também:

Comentários