Notícias / Pará

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Um grande Marco e um grande bairro para Belém

Terça-Feira, 16/06/2015, 15:30:44 - Atualizado em 17/06/2015, 16:36:09 Ver comentário(s) A- A+

Um grande Marco e um grande bairro para Belém (Foto: Maycon Nunes)
No local também há outras “heranças” do início do século passado, como os nomes de diversas avenidas e travessas (Foto: Maycon Nunes)

Um marco para a cidade. Assim pode ser compreendido, literalmente, o bairro do mesmo nome, em Belém, um dos mais centrais na capital paraense e com grande número de serviços e avenidas de destaque.

O bairro foi criado na administração do intendente Antonio Lemos, durante a Belle Époque, na virada do século XIX para o XX. Seu nome, como é possível perceber, não é ao acaso: servia para demarcar o limite da cidade, era seu grande marco final. Com o passar do tempo e aumento populacional, outras ocupações e avenidas foram surgindo. Assim, o que era pra ser o “ponto final” de Belém transformou-se em um grande ponto de partida da cidade.

Atualmente, o Marco agrega locais com serviços diversos, como sorveterias, restaurantes, hospitais, farmácias, docerias, escolas, entre outros. Além disso, possui o Mercado do Marco ou Feira da Bandeira Branca, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), dois campi da Universidade do Estados do Pará (Uepa), Serviço Social da Indústria (Sesi).

Duque de Caixas, avenida que homenageia um militar. Foto: Maycon Nunes


No local também há outras “heranças” do início do século passado, como os nomes de diversas avenidas e travessas, que homenageiam militares de destaque na Guerra do Paraguai, como Duque de Caxias e Almirante Barroso. Há ainda referências a campanhas importantes da Guerra, como Humaitá, Chaco e Curuzú.

É justamente na travessa Curuzú que está situado o estádio de um dos dois maiores clubes não somente da capital como do estado: o Leônidas Sodré de Castro, do Paysandu. Ali próximo, ainda no bairro do Marco, se encontra o estádio Evandro Almeida, o Baenão, do Clube do Remo.

Bosque Rodrigues Alves é um dos maiores atrativos do bairro. Foto: João Gomes/Comus


Além dos estádios da dupla RE-PA, um dos principais ícones do bairro é o Jardim Botânico Bosque Rodrigues Alves, que atrai grande público sejam de moradores da cidade, sejam turistas. Unindo o verde natural, grandes avenidas e serviços variados, o bairro do Marco inicia a série Morar bem, em Belém, mostrando o quanto a capital paraense possui boas alternativas não somente para moradia, mas para qualidade de vida.

CURIOSIDADES

- Construído na Belle Époque, o Bosque Rodrigues Alves é inspirado no Bois de Bologne (Bosque de Bolonha), de Paris

- A avenida João Paulo II, segunda principal avenida do bairro, chamava-se até anos atrás “1º de dezembro”, data na qual o Brasil confirmou a posse sobre o Amapá, até então território francês.

- A avenida Almirante Barroso já foi denominada Tito Franco, estrada do Marco e Estrada de Bragança.

- Com posicionamento estratégico, quem entra ou sai da capital paraense de algum modo tem que passar por alguma das vias da cidade.


(Enderson Oliveira/DOL)

Leia também:

Comentários