Notícias / Pará

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Flagrante de trabalho infantil revolta internautas

Terça-Feira, 05/08/2014, 10:37:15 - Atualizado em 05/08/2014, 11:01:24 Ver comentário(s) A- A+

A reportagem "Esmolas sobre as Águas - Exploração do trabalho infantil em rio amazônico" publicada no Diário Online, desde a última quarta-feira (30) revoltou internautas que voltaram suas atenções para o problema.

A maioria lamentou constatar a forma com que crianças e adolescentes ribeirinhas são usadas para pedir esmolas. Nas redes sociais, ou no espaço para comentários na própria matéria, o sentimento apresentado pelos leitores do DOL não foi muito diferente.

O internauta, identificado como Heleno, lamentou a situação lembrando do  papel da criança na sociedade e ressaltou que as condições apresentadas são, sobre tudo humilhantes. "É lamentável que as crianças passem por essa situação constrangedora mesmo não sabendo. Os adultos que agem dessa forma deveriam ser punidos. crianças é para serem tratadas com carinho e não serem humilhadas. Fico muito chateado com essa situação, minha mãe me criou com muita dificuldade sem precisar me expor ao ridículo", comentou.

No Facebook, uma das redes sociais utilizadas pelo DOL, a reportagem foi compartilhada por mais de 60 internautas e teve cerca de 140 curtidas. Para os usuários da rede, vários motivos podem explicar a existência da prática.

Segundo Helén Martins, o problema é cultural. Ela fala com a propriedade de quem viaja mais longe dos grandes centros.  "Essa situação é mais cultural. Sempre viajo e não é de hoje que os ribeirinhos pedem toda sorte de "coisas". As crianças sempre estão nas canoas e "atracam" nos barcos pedindo roupas, comida, dinheiro, e algumas delas precisam de fato, outras não. Acho que caberia sim uma intervenção no sentido de orientação quanto aos riscos, etc.,mas essa abordagem de exploração infantil apontada pelo jornal deveria ser melhor refletida", disse.

A denúncia também foi apreciada pelo coordenador nacional de Combate ao Trabalho Infantil do Ministério Público do Trabalho (Coordinfância), Rafael Dias Marques, que em entrevista ao DOL caracterizou a situação como uma perversa violação de direitos humanos de crianças e adolescentes. “Precisa ser veementemente coibida e reparada, pelo Estado, pela sociedade e família, garantindo-se ampla proteção e prioridade absoluta às causas da infância”, destacou.

BENEFÍCIOS

Muitos comentários lembram, conforme depoimentos de moradores feitos à reportagem, que existem benefícios do Governo Federal e os pais são apontados como culpados. "Que culpa de governo nada. Essas pessoas recebem benefícios do governo como bolsa família. É culpa dos pais que obrigam as crianças a pedirem", reclama Kleber Augusto da Silva de Souza.

Por outro lado o internauta Juno de Jesus apontou os passageiros das grandes embarcações como os responsáveis pela continuidade deste tipo de prática. "Isso sempre aconteceu e nunca ninguém fez nada", afirmou. "A culpa maior é de quem dá esmola, pois incentiva essa prática e alimenta esse círculo vicioso", argumenta.

(Kleberson SantosDOL)

Leia também:

Comentários