Notícias / Mundo

TRAGÉDIA NA ETIÓPIA

Piloto relatou dificuldades minutos antes da queda de avião; não há sobreviventes

Domingo, 10/03/2019, 13:51:38 - Atualizado em 10/03/2019, 14:52:08 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Piloto relatou dificuldades minutos antes da queda de avião; não há sobreviventes (Foto: Reprodução/Twitter)
A aeronave era ocupada por 157 pessoas de 35 países. (Foto: Reprodução/Twitter)

Minutos antes do acidente de avião que matou 157 pessoas na manhã deste domingo (10), próximo à capital da Etiópia, Addis Abeba, o piloto da aeronave entrou em contato com a torre de comando e afirmou que estava tendo dificuldades durante o voo. De acordo com o presidente da companhia Ethiopian Airlines, Tewolde Gebremariam, o comandante ainda teria pedido permissão para retornar ao aeroporto de origem. A autorização chegou a ser concedida, mas o avião sumiu dos radares logo depois. 

O Boeing 737 800-MAX saiu da capital da Etiópia e tinha como destino a cidade de Nairóbi, capital do Quênia. A queda da aeronave ocorreu seis minutos após a decolagem, próximo a cidade de Bishoftu. O desastre não deixou sobreviventes.
Ainda não há informações sobre a causa do acidente, mas o operador de táfego aéreo do país afirmou que o avião apresentou velocidade vertical instável após a decolagem. 

Leia mais:

Segundo informações da companhia aérea, os ocupantes da aeronave eram cidadãos de 35 países: 32 do Quênia, dezoito do Canadá, nove da Etiópia, oito da China, oito da Itália, oito dos Estados Unidos, sete da França, sete do Reino Unido, seis do Egito, cinco da Alemanha, quatro da Índia, quatro da Eslováquia, três da Áustria, três da Rússia, três da Suécia, dois da Espanha, dois de Israel, dois do Marrocos, dois da Polônia, um da Bélgica, um de Djibouti, um da Indonésia, um da Irlanda, um de Moçambique, um da Noruega, um de Ruanda, um da Arábia Saudita, um do Sudão, um da Somália, um da Sérvia, um de Togo, um de Uganda, um do Iêmen, um do Nepal, um da Nigéria e um com passaporte das Nações Unidas.

Além disso, as autoridades etíopes ainda acreditam que participantes de uma conferência ambiental da Organização das Nações Unidas (ONU), que vai acontecer nesta segunda-feira (11), em Nairóbi, possam estar entre os mortos. O encontro, que deve contar com a presença de mais de 4.000 autoridades mundiais.

(Com informações da Veja)



Conteúdo Relacionado:





Comentários

Destaques no DOL