Notícias / Mundo

REPERCUSSÃO MUNDIAL

Bilionário morre durante cirurgia para aumentar pênis e caso intriga

Quinta-Feira, 07/03/2019, 14:04:30 - Atualizado em 07/03/2019, 14:04:30 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Bilionário morre durante cirurgia para aumentar pênis e caso intriga (Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

Tem gerado intriga e especulações a morte do bilionário israelense Ehud Arye Laniado, de 65 anos. O ricaço, conhecido como “bilionário dos diamantes”, faleceu, no último sábado (2), enquanto se submetia a uma cirurgia de aumento peniano na icônica avenida Champs-Elysées, em Paris, na França.

Laniado, que era dono da Omega Diamonds, uma companhia belgo-israelense de comércio de diamantes, sofreu uma parada cardiorrespiratória durante a cirurgia.

O bilionário era conhecido por ser extravagante e muito vaidoso, mas tinha complexo com a altura, pois se achava muito baixo Entre as marcas do bilionário, estavam o bronzeado forte e o cabelo penteado para trás.

"É totalmente incompreensível. Ele estava contente no amor. Homem bonito, ele sempre teve sucesso com as mulheres", disse um comerciante de diamantes da Antuérpia.

Um jornal belga, chamado Het Nieuwsblad, entrevistou um funcionário de Laniado, muito próximo ao bilionário, que relatou serem constantes as visitas do empresário ao cirurgião plástico. Já o periódico “Le Soir” afirmou que a clínica demorou uma hora para chamar o serviço de emergência, enquanto realizava massagem cardíaca para reanimá-lo.

Laniado, que começou a vida como massagista em um hotel em Tel Aviv antes de embarcar no comércio de diamantes brutos em Antuérpia, vivia em Mônaco, em uma cobertura que vale cerca de US$ 56 milhões (R$ 215 milhões), segundo o jornal australiano The Sun.

Em 2015, Laniado vendeu o diamante mais caro do mundo, o Blue Moon, por US$ 68 milhões (R$ 261 milhões) ao empresário de Hong Kong Joseph Lau Luen Hung.

Ele se dizia aposentado após um escândalo de evasão de divisas na Bélgica, em um processo milionário que quase custou a reputação do bilionário.

(Com informações do portal Metrópoles)





Comentários

Destaques no DOL