Notícias / Mundo

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Bitcoin: que tal ter o seu salário pago na moeda do momento?

Domingo, 07/01/2018, 15:52:22 - Atualizado em 07/01/2018, 17:25:11 Ver comentário(s) A- A+

Bitcoin: que tal ter o seu salário pago na moeda do momento? (Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Pois é isso mesmo que você leu! A tentativa partiu de uma empresa japonesa de internet chamada GMO Group que pretende oferecer, no início de 2019, aos seus 4 mil funcionários a opção de receber o salário em bitcoin.

A moeda virtual por si só já tem chamado bastante atenção no mundo por conta do seu alto valor, no entanto, são poucos os que a usam. Os salários serão pagos de acordo com o valor da moeda digital em data e hora previamente acordados.

(Foto: Divulgação)

"Se o preço do bitcoin for de US$ 10 mil e um funcionário escolher receber US$ 1 mil em criptomoedas, ele ganharia 0,1 bitcoin”, explica o professor de finanças da Escola INSEAD de Negócios. Ele reitera que a prática pode beneficiar os usuários que decidirem por esse tipo de pagamento, já que a moeda costuma ter altos índices de hipervalorização.

"Quem optar por vender a moeda virtualmente receberia a mesma quantia, que teria sido paga em dinheiro. Enquanto isso, quem quiser guardar a moeda e esperar valorizar, vai fazer US$ 1 mil se transformar em US$ 5 mil. Ou até mesmo em nada”, alerta o professor.

(Foto: Divulgação)

RISCOS

No entanto, há quem critique que o anúncio feito pela empresa não passa de uma “jogada de marketing” muito bem executada, já que o bitcoin é um dos assuntos mais pesquisados do momento.

 Por outro lado, quem se envolve com a venda da moeda precisa ficar alerta com a volatilidade dela. A exemplo dos últimos dias que ela sofreu uma brusca queda nos preços e só conseguiu se recuperar em 50%.

(Foto: Divulgação)

Ao que tudo indica, porém, muitos querem sofrer esses riscos, como mostra a plataforma desenvolvida para converter salários em criptomoedas, a Bitwage. Só nessas últimas semanas, milhares de novos usuários se cadastraram, todos seduzidos pelos altos preços da moeda.

“Hoje em dia muita gente quer ter parte e, às vezes, todo o salário pago em bitcoin”, afirma o fundador da Bitwage, Jonathan Chester, que já converteu cerca de US$ 30 milhões em salários de 20 mil usuários nos EUA, Europa, América Latina e Ásia, incluindo funcionários do Google, do Facebook, da GE, da Philips, da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Marinha norte-americana.

(Com informações da BBC)







Comentários