Notícias / Mundo

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Criminosos mantém animais presos em jaulas submersas

Terça-Feira, 12/09/2017, 23:16:04 - Atualizado em 12/09/2017, 23:16:59 Ver comentário(s) A- A+

Criminosos mantém animais presos em jaulas submersas (Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

Um grupo de mergulhadores fez uma descoberta perturbadora enquanto explorava as águas de uma ilha na Indonésia.

Segundo o site de proteção animal "The Dodo", foi encontrado dois dugongos, uma ordem de mamíferos marinhos, presos dentro de jaulas em uma parte mais rasa do oceano.

Um dos mergulhadores afirmou que os animais pareciam ser uma mãe e seu filhote presos em jaulas separadas. A mãe estava presa por uma corda amarrada em seu rabo. Confira no vídeo:

Nemu makhluk malang ini saat surface interval di Pulau Kokoya (https://goo.gl/maps/vwuRhtXGL8q). Dugong ini ditangkap, diikat dan dikurung dengan makanan seadanya. Kondisi ekor yg diikat luka parah. kita sudah melakukan pendekatan ke nelayan agar dugong tangkapan ini dilepas dan dia sudah bersedia (walaupun kita sendiri ragu). Karena cuma sejam di pulau tsb, kita tdk tau dilepas beneran atau ngga. Sebenarnya dugong yg stress ini jika dilepas jg belum tentu bisa survive. Mengingat hewan ini tergolong terancam punah, jika ada yg punya kenalan di balai konservasi mungkin bisa dibantu forward dan ditangani. Dugongnya ada dua ekor, satu yg lebih kecil tidak terikat namun dikurung di jaring yg berbeda. Anyone, please help.... *update : sudah dilepaskan dibantu oleh mentri Susi*

Uma publicação compartilhada por Ryandito Mahendradani (@rmahendradani) em

Os mergulhadores acreditam que os animais foram capturados por um pescador local, que aparentemente estavam tentando lucrar com os turistas. "O pescador me pediu um pouco de dinheiro se eu quisesse ver o dugongo ou tirar uma foto", explicou o mergulhador Delon Lim.

Eles ainda tentaram convencer o pescador a libertá-los, informando que esses animais são uma espécie protegida e ameaçada de extinção. “Quando nós deixamos a ilha, o pescador concordou em libertá-los”, disse Lim. “Mas como não estávamos muito convencidos de que ele faria isso, eu postei o vídeo nas redes sociais”.

Com a repercussão do vídeo, dentro de poucos horas, Lim foi contatado pelas autoridades locais pedindo a localização das jaulas. No dia seguinte, os oficiais foram até o local e libertaram os animais.

(Com informações de GreenPeace)





Comentários