Notícias / Eleições 2014

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Pesquisadores dizem que não trabalham para empresa

Sábado, 20/09/2014, 07:50:12 - Atualizado em 20/09/2014, 07:50:12 Ver comentário(s) A- A+

Os advogados da Coligação “Todos pelo Pará” explicam que a Doxa realizou pesquisas eleitorais de intenção de votos para as eleições de 2014, e para tanto apresentou registros junto ao TRE de números 00005/2014 e 00009/2014, para a realização de pesquisas eleitorais no período de 20 a 22 e 26 a 29 de agosto passado, respectivamente. “O contexto eleitoral reclamou a aferição dos dados e dos documentos e informações sobre essas pesquisas da Doxa”, dizem os advogados, informando ter feito pedido ao tribunal nesse sentido.

O juiz Antônio Campelo deferiu o pedido para que a Doxa fornecesse aos advogados acesso ao sistema interno de controle, verificação e fiscalização da coleta de dados, incluídos os referentes à identificação dos entrevistadores e, por meio de escolha livre e aleatória de planilhas individuais, mapas ou equivalentes, confrontar e conferir os dados publicados. Também foi deferido acesso ao relatório do solicitante da pesquisa e ao modelo do questionário aplicado, para facilitar a conferência das informações divulgadas.

A surpresa foi estarrecedora: a fraude era grotesca, confessada pelo banco de dados da própria Doxa. Isso ficou comprovado após confronto com os dados sobre coleta realizada pela empresa IVeiga nos registros de suas pesquisas de números 00013 e 00014 no TRE. O resultado do trabalho da Doxa já havia sido publicado pelo jornal O Liberal. Mas um problema surgiu: a Doxa tinha duas listas de pesquisadores e controladores de suas pesquisas. Na primeira, não havia os dados desses pesquisadores e controladores, tornando impossível a ação de verificação do ato fiscalizatório.

Ocorre que, depois, a Doxa apresentou uma segunda lista de nomes com telefones que seriam das pessoas que pesquisaram e realizaram o controle interno das entrevistas feitas. Mas, ao fazer a verificação, os advogados obtiveram como resposta dos pesquisadores que elas nunca trabalharam para a Doxa. Em resumo: as informações prestadas pela Doxa à Coligação Todos pelo Pará eram falsas.

VAZAMENTO

As pessoas ouvidas informaram que trabalharam recentemente em pesquisa realizada pela IVeiga. A empresa IVeiga também passou pelo crivo da coligação “Todos Juntos pelo Pará”, que pediu ao TRE que ela fornecesse toda a documentação de suas pesquisas. Essa coligação é comandada pelo PSDB e tem como candidato o atual governador, Simão Jatene. Pelo fato dessa coligação ter os dados da IVeiga em mãos, a suspeita dos advogados é que esses dados tenham sido levados ao conhecimento da Doxa.

(Diário do Pará)

Leia também:

Comentários