Notícias / Brasil

SEGURANÇA

Roubos a coletivos caem 80% no Pará

Quarta-Feira, 15/05/2019, 09:54:59 - Atualizado em 15/05/2019, 09:54:59 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Roubos a coletivos caem 80% no Pará (Foto: Fernando Araújo/Diário Araújo)
Andar de ônibus em Belém e no interior tem sido mais tranquilo nos últimos meses para a população, que começa a perder o medo (Foto: Fernando Araújo/Diário Araújo)

O número de registros de roubos a coletivos diminuiu em todo o Pará. Na capital, usuários do transporte público aprovam as medidas que tem sido adotas e que refletem as reduções.

De acordo com dados da Secretaria de Inteligência de Análise Criminal (Siac) da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup), comparando o período de 1° a 12 de maio, dos anos de 2018 e 2019, houve uma redução de 82% no número de roubos a coletivos em todo o Pará. No ano passado, 34 casos foram registradose, este ano, apenas seis.

No ponto de ônibus próximo a um dos cartões-postais de Belém, a Praça do Relógio, é grande o fluxo de pessoas que utilizam o transporte público para se deslocar para o trabalho, escola e demais atividades. Nas esquinas, viaturas policiais garantem a segurança e inibem não só o roubo a coletivos, masdiversos outros crimes.
A estudante do curso de Direito, Fabrine Amaral, utiliza o ônibus como meio de transporte para ir para o estágio e nunca foi vítima de roubo a ônibus. Ela afirma que, com mais viaturas nas ruas, a violência tende a diminuir. “Tenho visto policiamento em pontos de Belém e acredito que a polícia estando nas ruas cai drasticamente os assaltos nos ônibus, porque geralmente eles não estão armados e chegam sob ameaças. Com o policiamento, os assaltantes se retraem para não efetuar a prática”, afirmou.

MEDIDAS

Ainda nos primeiros dias de 2019, ações de segurança foram colocadas em prática para aumentar a presença da polícia nas ruas. Já no dia 2 de janeiro, a Segup deflagrou a operação Polícia Mais Forte. Cerca de 70 viaturas que antes eram utilizadas apenas no serviço administrativo foram realocadas na atividade operacional, justamente no horário em que há maior incidência de criminalidade. A medida aumentou o efetivo em mais de 50% na Região Metropolitana de Belém, além do acréscimo de aproximadamente 180 policiais militares, com o pagamentode jornada extraordinária.

Moradora do bairro da Terra Firme, Liliane Rodrigues relata que já foi roubada em um coletivo, mas tem percebido que o crime tem reduzido. “Levaram a minha bolsa com todos os meus pertences. É uma situação muito ruim, graças a Deus que isso nunca mais aconteceu e espero nunca mais passar por essa situação. Tenho visto a polícia mais na rua e, onde moro, até a Força Nacional. Acho que os bandidos estão temerosos e tem de ser assim”, relatou.
 

COLETIVIDADE

O titular da pasta de segurança pública no Pará, Ualame Machado, ressalta que quando os índices deste tipo de crime reduzem, o número de pessoas que são beneficiadas é muito maior. “Quando um ônibus deixa de ser assaltado, não apenas uma pessoa deixa de ter os seus pertences subtraídos e a sua integridade física e psicológica preservadas, e sim várias pessoas. Elas dependem desse meio de locomoção, que são em sua grande maioria trabalhadores. Então, as ações permanecerão para coibir este tipo de crime e promover a segurança, seja em ambientes públicos ou dentro de ônibus, por exemplo”, anunciou o secretário.

"Levaram a minha bolsa com todos os meus pertences. É uma situação muito ruim, graças a Deus que isso nunca mais aconteceu e espero nunca mais passar por essa situação", disse Liliane Rodrigues, moradora da Terra Firme

COMPARATIVO - ÚLTIMOS DOIS ANOS

Ao comparar todo o período, de 1º de janeiro a 12 de maio, de 2018 e 2019, o número de ocorrências deste tipo de crime foi de 616 e 253, respectivamente, resultando em uma redução de 59%, quando 363 roubos a coletivos foram evitados.

6 ASSALTOS

Foi o número de crimes registrados este ano contra transportes coletivos em todo o território paraense.

(Diário do Pará)

 

 



Conteúdo Relacionado:





Comentários

Destaques no DOL