Notícias / Brasil

DESPREOCUPADO

Sem remorso, assassino do jogador Daniel grava vídeo dentro da prisão: 'estou bem'

Terça-Feira, 20/11/2018, 09:34:15 - Atualizado em 20/11/2018, 09:44:27 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Sem remorso, assassino do jogador Daniel grava vídeo dentro da prisão: 'estou bem' (Foto: Reprodução)
Edison confessou ter assassinado do Daniel em defesa da esposa, que teria sofrido uma tentativa de estupro. (Foto: Reprodução)

Assassino confesso do jogador Daniel Corrêa, Edison Brittes, conhecido também como “Juninho da Riqueza” gravou um vídeo na última segunda-feira (19), de dentro do Centro de Triagem 1 (CT1), em Curitiba, onde foi transferido após sua prisão.

Sem demonstrar remorso pelo crime ou mesmo alguma outra preocupação, no vídeo, Edison desmente os boatos que circularam na semana passada, que afirmavam que ele teria sido espancado por outros presos. “Quero deixar bem claro para quem está vendo este vídeo que eu estou bem, não sofri nenhum tipo de ameaça, nem agressão”, garante.

Veja o vídeo:

Assassinato de jogador

O jogador Daniel Correa Freitas foi morto na manhã do dia 27 de outubro. No dia 26, ele esteve na casa noturna Shed, em Curitiba, comemorando o aniversário de 18 anos da  jovem Allana Emilly Brittes. Após a festa, os pais de Allana, Edison Luiz Brittes Júnior e Cristiana Rodrigues Brittes e vários amigos da jovem estenderam a comemoração para a casa da família Brittes, em São José dos Pinhais.

Edison Brittes Júnior, 38 anos, está preso desde a semana passada. Ele confessou ter assassinado o jogador Daniel Corrêa. Segundo Juninho, ele cometeu o crime para defender a mulher, Cristiana Brittes, de uma suposta tentativa de estupro.

No entanto, essa versão da tentativa de abuso sexual foi descartada pela polícia e pela promotoria.

"Tenho certeza de que não houve estupro, que se essa mulher tivesse gritado mais pessoas teriam ouvido. Tenho certeza de que se essa mulher acordasse da embriaguez, com o Daniel, ela poderia ter pulado a janela. Ficou evidenciado Ficou evidenciado nos autos que ela estava embriagada e que só o indiciado ouviu ela gritar socorro", disse Trevisan na última sexta (09).

(DOL)





Comentários

Destaques no DOL