Notícias / Brasil

GRUPO RACISTA

Bolsonaro e Haddad trocam farpas, após elogio de líder da Ku Klux Klan a candidato do PSL

Terça-Feira, 16/10/2018, 16:21:24 - Atualizado em 16/10/2018, 23:39:32 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Bolsonaro e Haddad trocam farpas, após elogio de líder da Ku Klux Klan a candidato do PSL (Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)
O candidato do PSL, Jair Bolsonaro, rebateu afirmação feita por seu adversário na corrida presidencial, Fernando Haddad (PT), de que sua candidatura conta com o apoio do grupo racista americano KKK (Ku Klux Klan).

"Recuso qualquer tipo de apoio vindo de grupos supremacistas. Sugiro que, por coerência, apoiem o candidato da esquerda, que adora segregar a sociedade. Explorar isso para influenciar uma eleição no Brasil é uma grande burrice! É desconhecer o povo brasileiro, que é miscigenado", escreveu o capitão reformado nas redes sociais.

A postagem é uma resposta ao que foi escrito há pouco por Haddad nas redes sociais.

"Meu adversário também está compondo com aliados e somando forças. Hoje ele recebeu o apoio da Ku Klux Klan...", escreveu o petista.

A troca de farpas entre os candidatos que disputam a presidência no segundo turno é uma resposta à entrevista concedida pelo ex-líder da Ku Klux Klan, David Duke.

Um dos nomes mais conhecidos do grupo, o historiador comentou a situação da política brasileira em um programa de rádio.

"Ele soa como nós. E também é um candidato muito forte. É um nacionalista", disse.

Duke disse que Bolsonaro é branco como um europeu e que ele "está falando sobre o desastre demográfico que existe no Brasil e a enorme criminalidade que existe ali, como por exemplo nos bairros negros do Rio de Janeiro".
(Folhapress)



Conteúdo Relacionado:





Comentários

Destaques no DOL