Notícias / Brasil

REVOLTA

Motorista da Uber ofende e abandona passageira cega, sem auxílio

Segunda-Feira, 03/09/2018, 12:09:10 - Atualizado em 03/09/2018, 12:09:10 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Motorista da Uber ofende e abandona passageira cega, sem auxílio (Foto: Reprodução/Instagram)
(Foto: Reprodução/Instagram)

Mais um caso de negligência de motoristas da Uber no Brasil: na última quinta-feira (30), segundo relato em seu próprio perfil no Instagram, a jornalista e influenciadora das redes sociais Nathalia Santos foi abandonada por um motorista do app de transportes após se desentender com ele sobre o uso do ar condicionado. Ela, que é cega, pediu ao piloto que desligasse o ar devido à sua alergia. Por três ocasiões, o motorista não só não o desligou como chegou a aumentá-lo. Diante dos protestos da passageira, ele a ofendeu, disse que sua cegueira “era castigo” e a fez descer do automóvel, sem informar em que região ela estava.

Nathalia conta que, na ocasião, contou com a ajuda de pedestres, comerciantes dos quiosques da região e de oficiais da Polícia Militar do Rio de Janeiro, que passavam pelo local. Todos eles ficaram com a jornalista e lhe ofereceram auxílio até que um novo transporte chegasse. Ela faz, diariamente com o Uber, o trajeto Ipanema-Botafogo, mas, quando foi abandonada, estava em Copacabana. A saída do carro foi tão repentina que, ela conta, a bengala usada por pessoas cegas acabou ficando no carro. O motorista atirou o objeto pela janela.

Hoje pela manhã, pedi um carro em um app, como faço todos os dias, para ir ao trabalho. Assim que entrei, informei que sou cega e solicitei que me deixasse exatamente no endereço informado e, logo em seguida, pedi também que desligasse o ar condicionado, mas fui ignorada. 5 min. depois solicitei novamente o desligamento do ar e fiquei falando sozinha de novo. Da terceira vez falei que eu era alérgica e que por isso que estava pedindo... O motorista surtou, disse que se fosse pra desligar, que eu teria que sair do carro porque ele não era obrigado a fazer o que eu pedia... Insisti dizendo que eu era cega e que ele não podia me deixar ali.... Foi quando ele parou o carro, começou a gritar e disse que eu era cega por castigo, desceu do carro, no meio de um lugar que até então eu não sabia onde era e me expulsou do carro dele, aos berros. Não fui forte, só sabia/sei chorar... Estou me sentindo um grão de areia, uma gota d’agua; Muito ruim ficar vulnerável dessa forma, o meu ir e vir está cada vez mais cerceado. Sinto-me, a cada dia que passa, mais dependente diante desse tipo de situação e fico me perguntando até quando precisarei passar por isso? Obs.: Tomarei as providências legais. —- #PraCegoVer: Imagem de fundo preto, escrito “#REVOLTANTE” em letras brancas.

Uma publicação compartilhada por Nathalia Santos (@nathaliasantos) em

Em entrevista ao jornal O Globo, Nathalia confirmou a intenção de prestar queixas. Em nota, a Uber disse que descredenciou o motorista em questão e entrou em contato com a jornalista pedindo desculpas. Para Nathalia, porém, isso não é suficiente: “Nada vai apagar o que eu passei. Apesar do pedido de desculpas, não tem como apagar o que aconteceu. As medidas legais precisam ser tomadas. Queria pedir que as pessoas se coloquem no lugar do outro. Eu realmente me senti muito indefesa”. Nathalia Santos ganhou notoriedade após participações constantes no finado programa “Esquenta”, exibido pela Rede Globo até 2017. Além da participação no televisivo, a jornalista também possui um canal no YouTube, com cerca de 7 mil inscritos.

Fonte: O Globo



Conteúdo Relacionado:





Comentários

Destaques no DOL