Notícias / Pará

CARREIRAS

Planejar a carreira é essencial no novo mercado de trabalho

Segunda-Feira, 23/04/2018, 08:30:44 - Atualizado em 23/04/2018, 08:30:44 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Planejar a carreira é essencial no novo mercado de trabalho (Foto: Divulgação)
Tânia está sempre a procura de profissionais com diferenciais pessoais e de atitude. (Foto: Divulgação)

Um bom emprego e uma carreira sólida é o que todo mundo quer. E não é uma questão de sorte, e sim de planejamento. Quem garante isso é a consultora empresarial e especialista em liderança e coach, Tania de Miranda. A consultora, inclusive, dá uma informação otimista para quem está navegando em busca pelo emprego dos sonhos: em termos de vagas, Belém está muito bem, obrigada. O que falta, infelizmente, são pessoas que tenham o perfil para desempenhá-lo, de fato. 

“Estou fazendo um processo seletivo para gerente financeiro administrativo de uma grande indústria e há grupos de candidatos que não passam nem da primeira fase”, afirma. “Pessoas com currículos bons, com experiência. É grave, inclusive, esse cenário por aqui”. Ela cita outro exemplo em que teve de demitir uma gerente em outra empresa tão logo o período de experiência terminou porque ela simplesmente não correspondia às exigências do cargo. “Se eu tivesse dinheiro suficiente, eu queria treinar pessoas, porque elas não conquistam o que querem porque não se conhecem”, reitera. 

Uma coisa bastante comum em processos de seleção é a identificação do perfil “mosca”. O currículo é ótimo, experiências boas, mas o profissional não se consolida em nenhum porque não tem foco, então pousa aqui, ali e onde der. “É clichê, mas todo mundo pergunta o tal ‘me fale de você, suas competências, habilidades’ na hora da entrevista de emprego, aí a pessoa diz que é excelen-te em Excel”, orienta. “Não é isso o que se está perguntando. Queremos saber o diferencial, aquele ‘diamante’ que cada um traz consigo”, orienta. 

Daniela repensou toda a carreira e criou a própria empresa. (Foto: arquivo pessoal)

ESCOLHAS 

Estudos globais mostram que a área acadêmica importa menos que um profissional que pensa de forma ágil, assertiva e produtiva, trazendo resultados, ainda que não tenha uma super pós graduação. “Queremos resultado, e não título”, reforça a especialista. “Desenvolver pessoas é o grande desafio do mercado, e serve para todo mundo, do cargo mais básico ao C.E.O. É o profissional que faz o plano de carreira, não a empresa”, corrobora.

Tania admite que os índices de desemprego alarmantes também contribuem para que esse detalhe tão importante acabe sendo deixado de lado. “É nesse momento que a pessoa tem tempo de pensar nisso, fazer esse planejamento e até buscar opções de melhoramento, com cursos baratos ou gratuitos cujo teor de conhecimento vai trazer um diferencial nessa busca pela recolocação de mercado”, garante. 

Hoje a consultora trabalha por conta própria, possui certificação internacional, ministra cursos fora do Brasil e não abre mão de não trabalhar às segundasfeiras. “Há 20 anos eu fiz esse planejamento, estabeleci uma meta de levar a vida que levo hoje”, orgulha-se. 

A jornalista, assessora de imprensa e empreendedora Daniela Walendorff passou cinco anos estudando sobre empreendedorismo e marketing digital. Faltou coragem por muito tempo para que ela colocasse tudo isso em prática até nascer o Pensando Fora da Caixa, uma empresa de mídia e entretenimento. 

Apesar de ter escolhido sua graduação por afinidade, algo ainda faltava. Então Dani se dedicou àpós-graduação, cursos, leituras, eventos, networking, até nascer a concepção do projeto que ela divide a sociedade com o marido, o também jornalista César Modesto. “A substituição do homem pela tecnologia em todas as áreas é muito forte, e diante desse cenário eu resolvi explorar outras oportunidades, garante. “Hoje a gente promove conversas com esses profissionais que saíram e pensaram fora da caixa em suas áreas para quem quisesse aprender algo a mais”, conta.

(Carol Menezes/Diário do Pará)





Comentários

Destaques no DOL