Notícias / Cultura

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Estado de Raymundo Sobral é estável

Terça-Feira, 08/01/2013, 01:58:58 - Atualizado em 08/01/2013, 01:58:58 Ver comentário(s) A- A+

Estado de Raymundo Sobral é estável (Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

O jornalista e escritor de livros de humor, Raymundo Mário Sobral, que assina a coluna “Jornaleco”, publicada todos os sábados no DIÁRIO, e edita há 13 anos a revista “Chá de Cadeira”, está internado na UTI do Hospital Adventista de Belém desde o último sábado, vítima de um Acidente Vascular Cerebral (AVC) que deixou o lado esquerdo do corpo dele paralisado.

Segundo a mulher do jornalista, Lea Sobral, o estado dele é estável. Ele ainda está em observação e deverá repetir, amanhã, os exames de tomografia computadorizada e ressonância magnética que fez ao ser hospitalizado para que os médicos avaliem o seu estado.

Segundo ela, os médicos afirmaram que não foi um AVC tão “forte” e ele já está recuperando os movimentos e voltou a falar, apesar de ainda ter uma certa dificuldade. Mesmo assim, o jornalista, de 75 anos, demonstra preocupação com sua coluna e com a revista que edita.

Raymundo Mário Sobral se sentiu mal depois e fazer umas compras no Ver-O-Peso. O carro da filha que ele dirigia teve problemas mecânicos, o que o deixou muito preocupado, segundo Lea.

“Ele foi até a esquina ver o nome da rua e quando voltou para dentro do carro já estava com a boca torta”, contou. O socorro e o atendimento imediato também ajudaram na recuperação dele.

Intitulando-se “Comendador da Ordem do Macaco Torrado”, Raymundo Mário Sobral tem como características mais marcantes de seu trabalho a irreverência e o humor. Em 1979 fundou o jornal PQP - Um Jornal pra Quem Pode, que ele editou por 23 anos, popularizando o falar típico do caboclo paraense.

Carreira
Raymundo Mário Sobral começou sua carreira na TV Marajoara, Canal 2, onde escrevia e produzia os programas de humor da emissora. Publicou os livros “O Candiru de Ocrides: Crônicas” (Ed. Grafisa, 1976), “O Motel de Ocrides: Crônicas” (Ed. Grafisa, 1978), “Repórter 69” (Ed. Cejup, 1987), “Santa Ignorância - 20 Anos de Papel Pintado” (Ed. Santo Antônio, 1993), “O Melhor do PQP - O Livro dos 15 Anos” (Ed. Santo Antônio, 1994), “Dicionário Papachibé - A Língua Paraense Volume I” (1996), “A Língua Paraense: Volume II” (1998), e “Dicionário Papachibé - A Língua Paraense: Volume III” (2005). Em 1987, foi tema da escola de samba Quem São Eles, com enredo “O Escambau Ilustrado do Comendador”.


(Diário do Pará)

Leia também:

Comentários