Acusados por duplo homicídio já estão presos

Quarta-Feira, 19/09/2012, 01:33:05 - Atualizado em 19/09/2012, 01:33:19 1 comentários

Tamanho da fonte: A- A+
Acusados por duplo homicídio já estão presos (Foto: Sidney Oliveira)
(Foto: Sidney Oliveira)

A mesma paixão pelo futebol que já inspirou versos de grandes compositores como Nando Reis e Chico Buarque, crônicas de grandes jornalistas como Nelson Rodrigues e sorrisos e choros anônimos de fanáticos pela emoção que a bola no gol proporciona, vem há anos sendo deturpada por grupos criminosos organizados travestidos de torcidas organizadas. Um ponto extremo disso ocorreu em junho desse ano, num duplo homicídio cometido na Cremação contra um membro da Remoçada, que morreu ao lado de uma pessoa que não tinha nada a ver com isso, só por estar no lugar errado. Ontem à tarde a Polícia Civil apresentou quatro pessoas que teriam tido envolvimento nesse crime.

Segundo apontam as investigações da polícia, no dia 24/06, João Otávio F. Araújo, 18 anos, conhecido como “Tavinho” teria sofrido uma tentativa de homicídio perto de onde mora, na rua dos Tamoios, supostamente cometido por Evanilson de Andrade Nascimento, que seria membro da Remoçada. Por isso ele teria procurado Leonardo Amorim Lima, 33, presidente de um setor da Terror Bicolor conhecido como “Bonde da Caveira” BDC. Em seguida eles teriam ido até o local do crime num Fiat de cor azul, na travessa Quintino Bocaiúva, esquina com Caripunas, na companhia de Fábio Maciel Farias, 27 anos e Rayssa Helena Cordeiro Ribeiro, 24 anos, aonde teriam sido efetuado os disparos.

Os tiros teriam sido disparados por duas pessoas. Rodrigo Nascimento Pereira, que estava só conversando com Evanilson, morreu na hora. Esse último morreu no PSM da 14 de Março. A partir daí, imagens coletadas no local do crime, nas quais aparece o Fiat azul chegando e saindo do local do crime, seguido por uma grande movimentação de pessoas assustadas, aliado ao depoimento de testemunhas que teriam visto Leonardo apanhando Tavinho e de outras que observaram o já citado carro chegando na Quintino, foram determinantes para que o pedido de prisão preventiva dos quatro fosse aceito pela Justiça. A partir daí, a polícia se articulou para intercepta-los quando partiam em dois ônibus para Fortaleza – CE na última sexta (14/09) para prestigiarem o jogo Payssandu e Fortaleza.

OPERAÇÃO

O primeiro preso foi Tavinho, na casa dele, por volta das 14h da última sexta. Depois, na noite desse mesmo dia, foram presos Rayssa e Fábio numa barreira montada numa ação conjunta que envolveu cerca de 40 servidores da Polícia Civil, da ROTAM e da Polícia Rodoviária Federal na barreira dessa última instituição localizada na fronteira entre Ananindeua e Belém. Leonardo, provavelmente por suspeitar da operação, só apanhou o mesmo ônibus em Marituba e conseguiu chegar a capital cearense. Mas por volta das 14h do último domingo, ele foi detido na porta do estádio Presidente Vargas com a ajuda da Polícia civil do Estado do Ceará.

“Leonardo provavelmente pensava que escapando de nosso cerco estaria livre, mas nós conseguimos agir rápido e o detivemos sem que ele ao menos pudesse ter visto o jogo”, comemorou o delegado Gilvandro Furtado, diretor da Divisão de Homicídios. O delegado que preside o inquérito, Eduardo Rollo, declarou que ainda na fase de instrução do caso, Leonardo apresentou um álibi de que estaria no mesmo carro que aparece nas filmagens no bairro da Marambaia na hora do crime, juntamente com Fábio, Rayssa e Tavinho. Por conta dessa declaração e por demais elementos no inquérito o pedido de prisão preventiva foi deferido.

“Ainda não sabemos qual a participação individual de cada um, mas temos certeza do envolvimento deles no caso. Rayssa, por exemplo, foi presa porque declarou a mim no depoimento que estava no carro de Leonardo. Se ela mentiu pra ajuda-lo no álibi eu não sei, mas ela acabou se prejudicando por conta do que disse”, analisou.

BARBÁRIE ORGANIZADA

No dia 31/07 Leonardo teria participado de outro homicídio. Lian Cleber Araújo Nobre, 30 anos, conhecido como “Carioca”, que era presidente da Remoçada na época, sofreu um atentado quando estava na garupa da moto de Patrick, por três pessoas que estariam num carro que emparelhou ao veículo deles na avenida Duque de Caxias. Leonardo teria efetuado os disparos que atingiram os dois. Carioca morreu na madrugada do dia 01/08, mas Patrick sobreviveu, e em depoimento ajudou na confecção do retrato falado do presidente da BDC.

“A Polícia Civil não vai compactuar com a barbárie cometida por essas facções de crime organizado que vão aos estádios para cometer crimes. Como elas foram extintas pela justiça, elas trocam de nomes pensando que vão nos enganar. Se o homicídio cometido por eles é difícil de prevenir, vamos reprimir com todo vigor essas atitudes”, anunciou Gilvandro Furtado. Ele ainda analisou o fato de que os quatro presos são de classe média. Leonardo é formado em administração, e Fábio tem curso superior incompleto e Rayssa é estudante de jornalismo. Tavinho já teve passagens pela DATA por furto quando era adolescente. Os quatro responderão por homicídio triplamente qualificado e formação de quadrilha.

(Diário do Pará)

Faça seu comentário. Clique aqui!

1 Comentários

Mais de Polícia

Leia mais notícias de Polícia. Clique aqui!

EDIÇÃO ELETRÔNICA