Notícias / Pará

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Domingo foi dia de almoço em família

Segunda-Feira, 13/08/2012, 02:35:36 - Atualizado em 13/08/2012, 02:54:02 Ver comentário(s) A- A+

Domingo foi dia de almoço em família (Foto: )

 Mesa farta cercada por filhos e netos que se confraternizaram para homenagear aos pais pelo dia que foi dedicado a eles. Assim aconteceu em muitos lares brasileiros, ontem, na forma mais comum de agradecer ao progenitor por tudo o que ele fez – desde a criação, o amor dado, a proteção e a atenção. 

Ainda não se tem certeza da origem do Dia dos Pais, sabe-se que o primeiro registro deste dia data de aproximadamente 4 mil anos atrás, na antiga Babilônia. No Brasil, os pais passaram a ter um dia dedicado a eles a partir da década de 1950. Desde então, as pessoas adotaram o almoço em família como a forma de se comemorar a ocasião. Por isto, o mecânico João Almeida da Silva, 80 - que é pai de sete filhos, avô de 14 netos e bisavô de cinco bisnetos –, conseguiu reunir boa parte da família para um almoço onde o motivo é a preservação dos laços familiares. Nascido em Igarapé-Miri, nordeste paraense, seu João se mudou para Belém há 50 anos em busca de melhores condições de vida. ‘Cheguei aqui sem emprego, sem nada”, relatou o patriarca.

Ao chegar à cidade, conseguiu um emprego como mecânico e com isso garantiu a educação dos filhos e criou todos eles de modo que pudessem perceber a importância da humildade para vencer na vida. “A luta foi grande, foi de muita dificuldade e nunca escondi isso deles. Tudo o que tenho hoje foi adquirido com esforço e honestidade”, destacou João.

Esta lição foi logo aprendida pelo filho primogênito, João de Oliveira, 55, que considera a reunião em família em ocasiões como as de ontem, do Dia dos Pais, gratificantes porque conseguiram manter os laços familiares onipresentes – o que não é comum na sociedade moderna. “Eu saí de casa muito jovem para ter luz própria, sozinho, e o meu pai não se opôs, apenas me aconselhou a ser sempre consciente das minhas atitudes, ético e a caminhar com os pés no chão”, relatou. “Acho que o maior aprendizado que eu consegui passar para todos os meus filhos foi a humildade – e isto eu aprendi com o meu pai. Hoje, fico feliz ao perceber que os filhos deles (seus netos) também seguiram esta linha de princípios”, acrescentou o patriarca João Almeida.

Quem o vê sério, calado e muito observador não imagina que por trás disso tem um homem carinhoso e que adora surpreender os filhos. Isso quem conta é a filha caçula, Mara Aires, 31. “Ele é um pai presente em todos os momentos, nos bajulava quando éramos crianças e hoje, mesmo sendo de pouca conversa, é um ‘amigão’ de todos nós”, frisou.

Na mesa, na hora do almoço, filhos, netos e bisnetos brindaram a saúde e alegria de seu João, que chegou aos 80 anos de idade bastante vaidoso. A sobremesa, é claro, não podia ser outra que não o açaí – afinal, o patriarca veio da cidade que é considerada a capital mundial do açaí.

(Diário do Pará)

Leia também:

Comentários