Notícias / Cultura

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Millôr fez carreira multifacetada e cheia de humor

Quarta-Feira, 28/03/2012, 13:43:12 - Atualizado em 28/03/2012, 15:41:52 Ver comentário(s) A- A+

Millôr fez carreira multifacetada e cheia de humor (Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Nascido no Rio de Janeiro, em 1924, Millôr Fernandes conseguiu reunir várias habilidades ao longo de sua carreira literária. Autodidata, escritor, jornalista, desenhista, dramaturgo. Essas são apenas algumas das facetas reveladas por Millôr durante sua trajetória. Suas produções encantaram a crítica e reuniram uma legião de fãs anônimos ou conhecidos. O escritor morreu na noite de ontem, aos 88 anos.

"O Brasil perde o homem das fábulas e dos contos fabulosos. Millôr Fernandes era um mestre das palavras e das artes em todas as atividades que exercia, com humor cortante e crítica inteligente", resume o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, em nota divulgada pela Agência Estado, através de sua assessoria.

Autor de mais de 40 títulos literários, o cartunista atuou como colaborador de diversos jornais e publicações ao longo dos últimos 60 anos, entre eles "Folha de S. Paulo", "Correio Braziliense", "Jornal do Brasil", "Isto É", "O Estado de S. Paulo", "O Dia" e "Veja".

Em seu site, Millôr descreveu com muito bom humor e de forma reduzida, passagens de sua biografia. A fundação da revista "O Cruzeiro" e do jornal "O Pasquim", que permaneceu censurado durantes os tempos da ditadura, foram alguns dos períodos mais marcantes de sua história.

Veja a fotogaleria com algumas obras marcantes de Millôr

"O período efervescente do Pasquim. Parecia até que o país existia e que certa socialização, confundida com uma fugida fraternidade, era possível", descreve Millôr em seu site, referindo-se ao ano de 1968. Ele foi um grande opositor da repressão vivida no Brasil.

No espaço online, Millôr também fala sobre histórias pessoais, como o vice-campeonato mundial em concurso de pesca de atum na Nova Escócia. “Nunca tinha pescado em minha vida e nunca peguei um peixe”, narra.

Marcando o seu pioneirismo, Millôr lançou o seu site "Millôr Online", em 2000. Ele foi um dos primeiros brasileiros a lançar a obra na web.

No site, os admiradores ou curiosos pela obra de Millôr encontram referências de suas principais traduções para o teatro, charges, fábulas e muitos textos com temas livres. Tudo permeado por muito humor. (Shamara Fragoso/DOL)

Leia também:

Comentários