Advogada bate em carro e desacata policiais

Quinta-Feira, 23/02/2012, 05:50:39 - Atualizado em 23/02/2012, 05:50:39 38 comentários

Tamanho da fonte: A- A+
Advogada bate em carro e desacata policiais (Foto: Wagner Almeida)
(Foto: Wagner Almeida)

Confusão, gritos, ofensas e desacato: estes elementos fizeram parte do palco montado por uma advogada dentro da Central de Flagrantes da Seccional de São Brás, no final da noite da última terça-feira. Márcia Norat Guilhon, 45, foi detida por policiais militares após ter colidido com sua Mercedes-Benz contra um Ford Ka, na avenida João Paulo II esquina com a travessa Timbó, bairro do Marco, em Belém. Depois de detida, ainda teria dado um bofete no rosto de um PM e ao ser apresentada na Central, teria ofendido os policiais civis e delegados de plantão.

Segundo o proprietário do Ford Ka atingido, um professor da Universidade Federal do Pará que preferiu não se identificar, a advogada teria atingido a parte traseira do carro. “Eu estava com meus três filhos no banco de trás e com a minha mulher no banco do carona. O carro dela bateu a parte traseira do meu carro, próximo do pneu. Foi quando o pneu do carro dela estourou”, contou.

Em seguida, ela teria fugido do local. “Ela parou o carro, começou a gritar. Nossa! Ela estava totalmente bêbada, xingando todos. Depois ela foi embora com o pneu mesmo furado. Imediatamente liguei para o 190 (Ciop) e informei a situação”, finalizou.

AGRESSÃO
A viatura 9206, comandada pelo cabo PM J. Monteiro, da 2ª ZPol, foi quem recebeu a informação. “Fomos informados do caso e saímos em perseguição ao veículo. O avistamos na avenida Duque de Caxias com a rua Antônio Barreto. O pneu do carro estava estourado e saía faísca do contato da calota do carro com a pista. No momento que interceptamos o carro, a motorista começou a ofender nossa guarnição. Ela estava aparentemente embriagada e por estar bastante exaltada, me arranhou com as unhas e chegou a me dar um tapa na cara”, contou o policial.

DESACATO
Segundo o policial, ela foi conduzida dentro da viatura para a Central de Flagrantes de São Brás para prestar esclarecimentos. Mas ao chegar na seccional, os policiais civis de plantão tiveram uma surpresa.

“Quando chegamos com ela aqui para ser feito o procedimento legal, ela começou a gritar e a ofender, de todas as formas, os delegados e investigadores da Polícia Civil que estavam de plantão”, contou.

De acordo com a delegada Ocione Guidão, ela promoveu um verdadeiro escândalo dentro da seccional. “Ela chegou aqui ofendendo todos os policiais de plantão, inclusive, me ofendeu com palavras de baixo calão. Registrei um boletim de ocorrência contra ela por desacato à autoridade”.

Segundo a Polícia Civil, a suspeita ainda teria se negado a fazer o teste do bafômetro e, após prestar esclarecimentos para o delegado de plantão, Vinícius Pinheiro Carvalho, ela foi indiciada pelos crimes de desacato e embriaguez. Márcia Guilhon pagou fiança de um valor não divulgado e vai responder pelos crimes em liberdade.

Procurada pelo DIÁRIO, a advogada não quis tratar do assunto e permaneceu em silêncio. Ela só saiu da Ceflag após familiares levarem peças de roupas e chapéus para que ela supostamente não fosse reconhecida e identificada.

Um amigo da advogada que preferiu não se identificar contou que toda a situação será contornada. “Ela colidiu contra o carro do professor e todas as despesas do veículo dele serão pagas. Ninguém ficou ferido e, felizmente, foram só danos materiais”, contou. (Diário do Pará)

Faça seu comentário. Clique aqui!

38 Comentários

Mais de Polícia

Leia mais notícias de Polícia. Clique aqui!

EDIÇÃO ELETRÔNICA