Diário Online

Iniciar impressão | Voltar para página


Sexta-Feira, 04/01/2019 - 07h19

Plataforma da Petrobras derrama 1.400 litros de óleo na Bacia de Campos

Plataforma da Petrobras derrama 1.400 litros de óleo na Bacia de Campos  (Foto: Arquivo)
Plataforma da Petrobras derrama 1.400 litros de óleo na Bacia de Campos (Foto: Arquivo)

Uma plataforma da Petrobras derramou óleo no litoral do Rio na tarde de quarta (2), informaram nesta quinta (3) o Ibama (Instituto do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis) e a Petrobras. A estimativa inicial é que 1.400 litros tenham vazado.

O órgão ambiental diz que foi comunicado do acidente por volta de 16h. Após sobrevoo, o instituto calculou uma mancha de 31 quilômetros de extensão. Segundo a Petrobras, o óleo vazou de por um furo em um dos tanques da plataforma, mas já foi contido.

A empresa diz que três embarcações trabalham na dispersão da mancha. A plataforma está no campo de Espadarte, a 130 quilômetros de Macaé, cidade no norte do estado que baseia as operações da estatal no litoral norte do Rio. Parada há cinco meses, a unidade está sendo desativada. 

A plataforma é operada pela Modec, empresa japonesa especializada em construção e operação de plataformas de petróleo. "O Plano de Emergência foi imediatamente adotado por ambas as empresas", diz a Petrobras, em nota.

O vazamento desta quarta é menor do que o ocorrido em 8 de dezembro, quando 60 mil litros de óleo vazaram na Baía de Guanabara em razão de um furto de petróleo em um oleoduto da Transpetro em Magé, na Baixada Fluminense. Na ocasião, 12 embarcações foram usadas na dispersão da mancha que também atingiu um rio da região.

O acidente desta quarta-feira (2) aconteceu um dia antes da posse do novo presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco. Em cerimônia na sede da empresa, o novo ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou que o governo de Jair Bolsonaro não irá interferir na política de preços dos combustíveis dos combustíveis da Petrobras. 

Tanto Castello Branco quanto Albuquerque defenderam maior competição nos segmentos de refino e distribuição como forma de garantir preços mais baixos aos consumidores.

(FolhaPress)


Iniciar impressão | Voltar para página

Endereço da página:

Endereço do site: